AVC

“Fast Heroes 112”: mais de 50 escolas com a missão de salvar vidas

Focadas em transformar os mais pequenos nos super-heróis lá de casa, mais de 50 escolas portuguesas já decidiram abraçar a iniciativa “Fast Heroes 112” (https://pt-pt.fastheroes.com/). A campanha educativa tem como objetivo primordial ensinar crianças do primeiro ciclo do ensino básico a identificarem os principais sintomas do acidente vascular cerebral (AVC), ajudando a salvar as vidas dos seus familiares, nomeadamente os avós. 

“Fast Heroes 112”: mais de 50 escolas com a missão de salvar vidas
BADAGAIO

DOENÇAS E TRATAMENTOS

BADAGAIO

“É muito bom ver que o esforço que temos feito no lançamento desta campanha em Portugal está a dar frutos e que as escolas portuguesas concordam com a importância desta grande missão”, afirma Jan Van Der Merwe, responsável pela campanha FAST Heroes. 

A iniciativa Fast Heroes tem como principal foco educar as crianças entre os cinco e os nove anos em relação aos principais sintomas de AVC e à necessidade de agir de forma correta e rápida.
As crianças têm como missão passar esta aprendizagem a dois avós ou membros da família acima dos 70 anos, uma vez que este é o grupo etário mais afetado pelo AVC, sendo esta uma missão que levam muito a sério. Ao fazer isto, é possível fazer com que estas competências que salvam vidas cheguem até às pessoas que mais precisam delas (os avós), e quem melhor para transmitir a mensagem do que aqueles que mais os amam (os seus netos). Desta forma, ajudam a prevenir que os doentes de AVC cheguem demasiado tarde ao hospital.  

“Com a chegada atempada ao hospital, é possível evitar consequências mais graves. No entanto, muitos doentes não sabem identificar os sintomas de um AVC ou não os consideram suficientemente graves para chamarem uma ambulância, sendo que a janela temporal que garante a eficácia dos principais tratamentos dura apenas algumas horas”, alerta José Castro Lopes, médico neurologista e presidente da direção da Sociedade Portuguesa do AVC. 

Como tal, esta campanha tem a “Grande Missão” de recrutar um milhão de crianças de todo o mundo para que estas aprendam mais sobre o AVC e ajudem a salvar os seus avós. Através de recursos educacionais divertidos, envolventes e interativos, as crianças adquirem assim competências práticas para salvar vidas, enquanto desenvolvem a importância da empatia e do amor e se divertem.  

Além da educação dos seus avós para este problema, pretende-se que os outros membros da família, especialmente os pais, também aprendam mais sobre o AVC, uma vez que estarão também expostos à campanha através dos materiais e das histórias que as crianças trazem da escola. Este é um alvo secundário importante, uma vez que 90 por cento das pessoas que sofrem um AVC pedem primeiro conselhos a outras pessoas, maioritariamente a familiares.

“Todos sabemos que as crianças gostam de aprender e ensinar quem as rodeia. Com as atividades que propomos, o objetivo passa por aproveitar esse mesmo entusiamo para salvaguardar a vida de todos”, acrescenta Jan Van Der Merwe. 

Para o fazer, a iniciativa foca-se em três super-heróis aposentados que têm um superpoder que ajuda a recordar os sintomas mais comuns do AVC, os 3 F’s: Francisco (Face), Fernando (Força), Fátima (Fala). Além destes, Tomás (Tempo) ensina a acionar de imediato o 112 aquando dos primeiros sintomas.  

Desenvolvida em parceria com o Departamento de Políticas Educativas e Sociais da Universidade da Macedónia, a iniciativa conta com o apoio da Direção-Geral da Educação (DGE), da Sociedade Portuguesa do AVC (SPAVC) e da Organização Mundial do AVC (WSO). Para participar na campanha, basta ir ao website em www.fastheroes.com e registar-se como Embaixador FAST Heroes.

Fonte: SAPO

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS