IMAGIOLOGIA

CHUC reforça radioterapia

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) anunciou a instalação do primeiro de dois aceleradores lineares no Serviço de Radioterapia do centro hospitalar, “o que em muito vai contribuir para a qualificação do acesso dos utentes aos cuidados de saúde”, destaca o portal de notícia do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

CHUC reforça radioterapia
NANOMEDICINA

MEDICINA E MEDICAMENTOS

NANOMEDICINA

A aquisição de dois equipamentos TrueBeam, em conjunto com o acelerador TrueBeam já existente no Serviço desde 2016, irá permitir a todos os doentes do CHUC o acesso a tratamentos através das técnicas atualmente recomendadas, nomeadamente imagem guiada (IGRT), intensidade modulada (IMRT), arcoterapia com intensidade modulada (VMAT) e técnicas de sincronização com base no ciclo respiratório do doente, vindo assim potenciar a capacidade de tratamento instalada de acordo com os mais elevados padrões de qualidade técnica e científica. Um dos aceleradores integrará ainda a valência de Radiocirurgia, até ao momento inexistente neste Centro Hospitalar.

O Serviço de Radioterapia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra presta assistência aos doentes oncológicos da região centro desde há cerca de 20 anos.

A radioterapia é uma metodologia de tratamento essencial, sendo utilizada em mais de metade dos casos de doentes com cancro, em algum momento da evolução da sua doença. Exige equipamentos dedicados, altamente sofisticados, com necessidade de modernização periódica, fruto da evolução tecnológica e do natural desgaste que ocorre com a sua utilização.

O Serviço de Radioterapia do CHUC trata diariamente cerca de uma centena de doentes, provenientes de toda a região centro, sendo assim responsável pelo tratamento de quase metade dos doentes oncológicos sujeitos a radioterapia na região centro.

Para além da atividade assistencial, o serviço de Radioterapia do CHUC é também referência na formação e treino médico na especialidade de Radioncologia e formação pré-graduada de médicos, técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica e enfermeiros.

Os novos equipamentos proporcionarão igualmente maior diferenciação na formação destes profissionais, com a aquisição de competências superiores e impacto no tratamento do doente oncológico, imediato e futuro.

Fonte: SNS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS