NEUROCIÊNCIAS

Cientista luso brasileiro descobre novo tipo de inteligência

O investigador e neurocientista luso-descendente Fabiano de Abreu criou um novo conceito de inteligência, denominado de DWRI (Development of wide regions of intelectual interference). O conceito foi recentemente aprovado pela academia científica, tendo sido publicado pela revista International Journal of Development Research.

Cientista luso brasileiro descobre novo tipo de inteligência
NEUROCIÊNCIAS

MEDICINA E MEDICAMENTOS

NEUROCIÊNCIAS

O conceito inovador criado por Fabiano de Abreu surgiu pelo facto de os testes de inteligência não medirem, muitas vezes, a capacidade de um indivíduo de forma perfeita.

Ter inteligência DWRI significa conseguir desenvolver todos os tipos de inteligência, englobando o seu património genético, os seus interesses e as suas experiências de vida que, no final, resultam numa inteligência global e não apenas direcionada.

Existem dois tipos de inteligência, a lógica e a cognitiva. Embora trabalhem em consonância, trata-se, na verdade, de realidades distintas. A inteligência DWRI é hereditária, aparecendo já na formação embrionária e é responsável pelo imaginário, entendimento do que está à nossa volta, a formação da personalidade e a condição da inteligência.

A capacidade de alguém em habilidades verbais, numéricas, lógicas e espaciais, mesmo que medidas por um teste de QI, não definem a inteligência DWRI. Desta forma, um sujeito de alto QI nem sempre possui uma inteligência DWRI, podendo ter apenas inteligências específicas.

Segundo Fabiano de Abreu, as pessoas que possuem uma inteligência DWRI são, por norma, mais ponderadas e equilibradas, não cedendo ao egocentrismo ou narcisismo. São, por isso, humildes mesmo estando plenamente conscientes das suas capacidades, o que se deve, sobretudo, pela noção de que ser mais humilde acarreta mais vantagens, incluindo para o próprio.

Outra característica que prevalece nestes indivíduos é a forte capacidade de controlo emocional sem que, com isso, perca a capacidade de socializar.

Segundo o estudo de Fabiano de Abreu, os indivíduos com QI superior a 99 e que também possuam inteligência DWRI têm mais probabilidades de sucesso profissional e pessoal, não apenas pelo domínio da lógica, mas pela sua capacidade de socializar e reforçar ramificações sociais que irão interferir no progresso, na carreira e no meio académico.

Fabiano de Abreu tornou-se num dos principais estudiosos sobre inteligência de alto QI. Sendo ele próprio superdotado, é membro da Mensa, com sede em Inglaterra, o que lhe permitiu ter, com mais facilidade, um vasto campo de estudo para os temas em questão e uma base bastante alargada de pessoas para estudar e entrevistar.

Fonte: PlanetAlgarve

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS