VACINA

Peritos defendem prioridade na vacinação aos maiores de 80 anos

Vários especialistas em infeciologia, pneumologia, virologia e saúde pública defendem, numa carta aberta, a alteração dos critérios de vacinação contra a COVID-19 para dar prioridade aos maiores de 80 anos.

Peritos defendem prioridade na vacinação aos maiores de 80 anos
VACINAÇÃO

SOCIEDADE E SAÚDE

VACINAÇÃO

O grupo que assina a carta, e que inclui o epidemiologista António Silva Graça, o virologista Pedro Simas, o pneumologista Filipe Froes e o especialista em Saúde Pública Constantino Sakellarides, defende que “a forma mais eficaz de reduzir o número total de mortos é vacinar os maiores de 80 anos e o pessoal médico e de saúde”. E justifica a iniciativa como “um imperativo ético e uma preocupação científica”.

Segundo os especialistas, “foi com base nestes mesmos pressupostos científicos que a Comissão Europeia recomendou a todos os Estados-membros que vacinem até março um mínimo de 80 por cento dos maiores de 80 anos e dos profissionais de saúde”.

O grupo relembra ainda que o primeiro-ministro se comprometeu publicamente em Bruxelas “a concretizar esta orientação”.

No documento, também assinado pelos ex-ministros da Saúde Maria de Belém e Adalberto Campos Fernandes e pela ex-presidente do Infarmed Maria do Céu Machado, os especialistas recordam que “a grande maioria dos Estados, incluindo aqueles com melhores práticas médicas e científicas, têm vindo a organizar o processo de vacinação começando pelos grupos etários mais velhos”.

Os critérios têm de ser “claros e transparentes, conformes a princípios éticos irrepreensíveis e resultar de um processo inclusivo e cientificamente rigoroso”, considerando que “tal é também fundamental para assegurar a confiança pública necessária à eficácia de todo o processo de vacinação”.

“Observámos, já depois de escrita a versão original deste texto, que a ministra da Saúde abriu a porta a essa revisão seguindo as orientações da Comissão Europeia que reconhecem a evidência científica há muito expressa nos planos de vacinação dos países europeus”, sublinham.

“Mas está por apresentar um Plano de Vacinação corrigido que incorpore o fator idade como elemento essencial das prioridades da vacinação. É para isso que apelamos antes que seja demasiado tarde e se tenha perdido uma boa parte de uma geração”, reforça o grupo de peritos.

Fonte: Lusa

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS