PANDEMIA

Confinamento piora dieta, inatividade e consumo de álcool

Cientistas do Canadá descobriram que a pandemia de COVID-19 levou a um agravamento significativo de hábitos alimentares, comportamento sedentário e elevado consumo de álcool entre estudantes universitários. O estudo foi publicado na revista Applied Physiology, Nutrition and Metabolism.

Confinamento piora dieta, inatividade e consumo de álcool
ALIMENTAÇÃO ANTICANCEROSA

DIETA E NUTRIÇÃO

ALIMENTAÇÃO ANTICANCEROSA

 
O estudo, que durou quatro meses, envolveu 125 estudantes universitários, que viviam sozinhos ou com colegas de quarto ou parceiros, e que eram responsáveis pela compra e preparação das suas próprias refeições.
 
Os estudantes responderam a um questionário online sobre o seu consumo de alimentos e bebidas, atividade física e comportamento sedentário, antes e durante a pandemia.
 
Os dados apurados mostraram que os estudantes consumiram menos comida todos os dias durante a pandemia em comparação com antes, comendo menos 20 por cento de carne, menos 44 por cento de laticínios, e menos 45 por cento de vegetais e, embora também bebessem consideravelmente menos bebidas, como café e chá, o seu consumo de álcool aumentou significativamente.
 
A angústia psicológica tem estado ligada à má qualidade da dieta, particularmente ao aumento do consumo de álcool, disseram os cientistas. Estes também explicaram que os estudantes poderiam também estar a comer menos para compensar a sua falta de exercício e o aumento do sedentarismo.

Observou-se ainda que, enquanto apenas 16 por cento dos participantes cumpriram as diretrizes nacionais de 150 minutos de atividade física moderada a intensa por semana antes da pandemia, estes números diminuíram para 9,6 por cento durante a pandemia.
 
Dos alunos que estavam a cumprir as diretrizes de atividade antes da pandemia, 90 por cento tornaram-se menos ativos, sendo que o número de horas passadas em sedentarismo aumentou de três horas para cerca de 11 horas por dia.
 
Outra possível razão para a redução da atividade física foi o facto de muitas universidades terem mudado para um regime à distância, fazendo com que os alunos não tivessem de se deslocar aos estabelecimentos de ensino, disseram os cientistas.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS