PANDEMIA

Pais jovens menos propensos a vacinar filhos contra COVID-19

Um estudo realizado nos Estados Unidos avaliou qual a intenção dos pais de vacinarem os seus filhos quando as vacinas para a COVID-19 estiverem disponíveis.

Pais jovens menos propensos a vacinar filhos contra COVID-19

Conduzido de 5 a 10 de julho em inglês e espanhol, o estudo incluiu 1 108 famílias nos Estados Unidos. Os pais foram solicitados a avaliar a probabilidade de vacinar os seus filhos.

No geral, 63 por cento dos pais planeavam vacinar os seus filhos e 60 por cento disseram que também tomarão as vacinas.

O estudo verificou que 52 por cento dos pais com idades entre os 18 e os 35 anos provavelmente vacinaram os seus filhos contra a COVID-19, em comparação com 67 por cento dos pais com idades entre os 36 e os 45 anos. Os mais propensos a vacinar foram os pais com 46 anos ou mais de idade (69 por cento).

Os pais com ensino superior tinham maior probabilidade de planear a vacinação do que aqueles com ensino secundário ou menor escolaridade. Pais brancos eram menos propensos a vacinar do que pais hispânicos, mostrou ainda o estudo.

Os investigadores não encontraram nenhuma associação entre os casos de COVID-19 de um Estado ou as taxas de mortalidade e as opiniões dos pais sobre a vacinação.

Segundo os autores do estudo, notícias falsas sobre vacinação disseminadas, principalmente, nas redes sociais podem ter impacto neste processo, pelo que é importante compreender e lidar com a hesitação dos pais quanto à vacina contra a COVID-19 para garantir a efetividade das campanhas de vacinação.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS