ENXAQUECA

MiGRA Portugal e SPC debatem tratamento na enxaqueca e cefaleias

A MiGRA Portugal – Associação Portuguesa de doentes com Enxaqueca e Cefaleias em conjunto com a Sociedade Portuguesa de Cefaleias (SPC) realiza o webinar Tratamento na Enxaqueca e Cefaleias, no dia 14 de janeiro, pelas 21h00, para abordar as principais dúvidas dos doentes que vivem com esta doença neurológica incapacitante.

MiGRA Portugal e SPC debatem tratamento na enxaqueca e cefaleias

Este webinar será transmitido no Facebook  da MiGRA Portugal, estando acessível para todos os que tiveram interesse em saber mais sobre o tema. A iniciativa tem apoio da farmacêutica Novartis, Teva e Allergan.

Ao longo da sessão serão apresentados vários temas nomeadamente as medidas gerais na gestão diária destas doenças, expostos pela neurologista Sara Machado.

Será ainda debatido o tratamento agudo da enxaqueca, cefaleias de tensão, cefaleias em salva, cefaleias por uso excessivo de medicação, com intervenção da neurologista Raquel Gil Gouveia, e o tratamento preventivo destes tipos de cefaleias, apresentado por Elsa Parreira, presidente da Sociedade Portuguesa de Cefaleias.

Existirá ainda tempo para um debate “Como encontrar a terapêutica correta? Quais os novos fármacos?” e esclarecimento de dúvidas, o qual contará com a participação da neurologista Isabel Pavão Martins e com a moderação da presidente da MiGRA Portugal, Madalena Plácido
“Apoiar e capacitar os doentes é um dos principais objetivos da MiGRA Portugal.

A utilização do tratamento adequado pode reduzir a frequência e intensidade das crises de enxaqueca e cefaleias e devolver aos doentes alguma qualidade de vida. Mas, por vezes, a jornada de procura pelo tratamento certo é difícil e é necessária a persistência dos doentes.

Este tipo de iniciativas permite-nos esclarecer as dúvidas dos doentes relativamente aos tratamentos existentes, mas também capacitá-los para que, em conjunto com o seu médico de família ou neurologista, possam ter um papel ativo na sua saúde.”, explica Madalena Plácido.

“A terapêutica é sempre um dos temas que suscita mais dúvidas nos doentes que nos visitam e que procuram a nossa ajuda! As cefaleias têm vários tratamentos que podem ser adotados e que não são iguais para todos os doentes, pelo que este tipo de iniciativas pode ajudar a esclarecer algumas dúvidas e ainda mostrar aos doentes que apesar de não ter cura, a enxaqueca e outras cefaleias tem tratamento”, afirma Elsa Parreira.

As cefaleias, como por exemplo a enxaqueca, são vulgarmente conhecidas por dores de cabeça, contudo são doenças neurológicas que provocam uma dor incapacitante que podem ter outros sintomas associados.

A Organização Mundial de Saúde identificou as cefaleias como o distúrbio neurológico mais frequentemente relatado nos cuidados primários sendo a enxaqueca um dos mais comuns, que afeta cerca de um milhão e meio de pessoas em Portugal.

As cefaleias foram consideradas a segunda causa de anos vividos com incapacidade na população portuguesa dos 5 aos 49 anos. Estas estão também entre as doenças mais comuns do sistema nervoso e afetam cerca de metade da população mundial, apesar de serem muitas das vezes desvalorizadas pela população geral.

Provocam crises muito incapacitante e têm um grande impacto no desenvolvimento de funções pessoais, mas também têm consequências na vida social, familiar e profissional e consequente impacto económico significativo.

Fonte: MiGRA Portugal – Associação Portuguesa de doentes com Enxaqueca e Cefaleias

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS