VACINA

Há mais portugueses a querer tomar a vacina contra a COVID-19

Mais de seis em cada dez portugueses querem tomar a vacina contra a COVID-19 assim que possível, o que representa um acréscimo face ao mês de novembro. Se no mês passado 54 por cento dos cidadãos manifestavam este interesse, agora são 62 por cento, de acordo com uma sondagem da Aximage realizada para a TSF, Jornal de Notícias e Diário de Notícias.

Há mais portugueses a querer tomar a vacina contra a COVID-19
COVID-19: VACINAÇÃO EM MARCHA

SOCIEDADE E SAÚDE

COVID-19: VACINAÇÃO EM MARCHA

E são mais eles do que elas a manifestar a vontade de receber a injeção assim que fique disponível. Se olharmos apenas para a faixa etária, o destaque vai para os mais velhos, acima dos 65 anos, que são os que mais querem receber a imunização.

Ainda assim, mais de dois em cada dez cidadãos têm reservas relativamente à vacina e não a querem tomar logo que possam. Entre estes, o maior motivo é o do medo dos efeitos secundários que a vacina possa provocar, seguindo-se a alegação de que não há ainda garantias sobre a eficácia.

Se mais de metade (60 por cento) dos inquiridos expressam uma grande ou muito grande confiança no Serviço Nacional de Saúde para implementar o plano de vacinação, a confiança no Governo desce consideravelmente: apenas 38 por cento manifestam grande confiança no Executivo chefiado por António Costa.

Ou seja, seis em cada dez cidadãos estão entre a confiança “assim-assim”, pequena ou muito pequena no que ao Governo diz respeito para a implementação do plano que agora está a ser posto em marcha.

Com mais ou menos confiança, certo é que as vacinas começam agora a ser administradas e a expetativa da população é a de que o “regresso à normalidade” demore, pelo menos, um ano a acontecer.

Neste estudo da Aximage, 37 por cento responderam que a normalidade voltará dentro de um ano, 23 por cento acreditam que demore dois ou mais anos.

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF, DN e JN com o objetivo de avaliar a opinião dos portugueses sobre temas relacionados com a COVID-19.

O trabalho de campo decorreu entre os dias 19 e 22 de dezembro de 2020. Foram recolhidas 812 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo, grupo etário e escolaridade.

À amostra de 812 entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95 por cento com uma margem de erro de 3,4 por cento. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

Fonte: TSF

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS