SEXUALIDADE

Retomar vida sexual após enfarte pode aumentar sobrevivência

Muitos sobreviventes de enfarte temem que retomar a vida sexual possa desencadear outro evento cardíaco. Mas uma nova pesquisa da Universidade de Telavive, em Israel, concluiu que o oposto pode ser verdade: de acordo com este estudo, retomar uma vida sexual normal nos meses após um ataque cardíaco pode realmente aumentar a sobrevivência.

Retomar vida sexual após enfarte pode aumentar sobrevivência

Para o estudo, os cientistas avaliaram dados sobre quase 500 pessoas sexualmente ativas com 65 anos ou menos de idade que foram hospitalizadas devido a um ataque cardíaco em 1992 ou 1993.

Durante um acompanhamento médio de 22 anos, 43 por cento dos pacientes morreram. Mas o estudo descobriu que aqueles que mantiveram ou aumentaram a frequência do sexo durante os primeiros seis meses após um ataque cardíaco tiveram um risco 35 por cento menor de morte, em comparação com aqueles que não o fizeram.

O benefício de sobrevivência de fazer mais sexo parecia ligado a reduções nas mortes não cardiovasculares, por exemplo, menos mortes ligadas ao cancro.

Os investigadores ressaltam que as descobertas não podem provar que o retorno à atividade sexual logo após um ataque cardíaco melhora diretamente a sobrevivência a longo prazo, mas provam uma associação entre os dois.

Os autores do estudo explicam que o sexo é uma forma de exercício físico que aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial. E embora o esforço físico vigoroso às vezes possa causar um ataque cardíaco, a atividade física regular também pode reduzir o risco de problemas cardíacos ao longo do tempo.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS