PANDEMIA

Pandemia afeta stress, solidão e irritabilidade dos portugueses

O agravamento do stress durante a pandemia afetou particularmente os jovens adultos, mais de um terço dos inquiridos no projeto de investigação Collaborative Outcomes study on Health and Functioning during Infection Times (COH-FIT), coordenado em Portugal por Pedro Morgado, do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da Universidade do Minho, e Sofia Brissos, do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.

Pandemia afeta stress, solidão e irritabilidade dos portugueses

Os dados preliminares revelam que, em Portugal, o agravamento do stress afetou um terço dos inquiridos e foi particularmente significativo entre os jovens adultos (36 por cento). Estes são também o segmento mais afetado pela solidão. Esta faixa etária registou um nível desproporcionalmente elevado de agravamento deste estado comparativamente com os participantes de outras faixas etárias.

No que respeita à irritabilidade, também cerca de um terço dos inquiridos reportou um agravamento, e apenas um número reduzido (<8 por cento) referiu melhorias nas duas semanas anteriores à participação neste estudo internacional. A grande maioria dos inquiridos relatou pequenas ou nenhumas alterações na irritabilidade (60 por cento).

Mais de 75 por cento dos participantes admitiu um aumento do tempo consumido nos meios de comunicação social, o que foi mais notório nos homens (81 por cento). Em relação à ocupação dos tempos livres, metade dos inquiridos afirmou ter despendido mais tempo em contactos sociais, a realizar exercício físico e a obter informação sobre a pandemia de COVID-19.

Quando questionados sobre as estratégias utilizadas para lidar com as emoções geradas pela pandemia, a maioria dos inquiridos referiu o contacto ou interação pessoal direta, o exercício físico ou os passeios, a utilização da internet, a procura de informação sobre a pandemia, a prática de hobbies significativos, e o trabalho, quer presencial, quer à distância.

Para os homens, as estratégias mais eficazes foram o contacto pessoal/interação direta, exercício ou passeios, utilização da internet e um hobby significativo; no caso das mulheres as foram o contacto pessoal/interação direta, exercício ou passeios, e utilização da internet.

A intimidade física/atividade sexual foi uma estratégia mais importantes para os homens do que para as mulheres, enquanto que para estas o contacto pessoal/interação direta, a utilização da internet, as redes sociais e o trabalho foram as estratégias mais utilizadas para combater o stress e a irritabilidade durante a pandemia.

Fonte: Activa

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS