OBESIDADE

Estigma do peso pode predizer compulsão alimentar na pandemia

O estigma de peso é comum entre pessoas com obesidade e é prejudicial à saúde. Associações entre obesidade e complicações de COVID-19 foram identificadas, mas não se sabe se o estigma de peso apresenta implicações adversas para a saúde durante esta pandemia.

Estigma do peso pode predizer compulsão alimentar na pandemia

Cientistas da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, avaliaram experiências pré-pandémicas de estigma de peso e a sua relação com comportamentos alimentares, sofrimento psicológico e atividade física durante a pandemia de COVID-19 entre 584 adultos emergentes (64 por cento do sexo feminino; idade média, 24,6 anos) que estavam a participar do estudo longitudinal COVID-19 Eating and Activity over Time.

Os cientistas descobriram que experiências pré-pandémicas de estigma de peso previam níveis mais altos de sintomas depressivos, estresse, comer como uma estratégia de enfrentamento e um aumento da probabilidade de compulsão alimentar.

Não foram observadas associações entre experiências pré-pandémicas de estigma de peso e atividade física. A magnitude das associações longitudinais foi diminuída ao considerar os níveis anteriores das variáveis de resultado na análise ajustada que também levou em consideração as características demográficas e o índice de massa corporal.

Esses riscos aumentados para a saúde, especialmente para a compulsão alimentar, indicam a necessidade de recursos educacionais e de apoio para ajudar a diminuir o impacto negativo do estigma nos comportamentos alimentares.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS