PRÉMIO-NOBEL

Nobel da Medicina: cientistas que descobriram vírus da hepatite C

O Prémio Nobel da Medicina 2020 foi atribuído a três cientistas pela descoberta e caracterização do vírus da hepatite C. “Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice fizeram descobertas fulcrais que levaram à identificação de um novo vírus, o vírus da hepatite C.

Nobel da Medicina: cientistas que descobriram vírus da hepatite C

Antes do seu trabalho, a descoberta dos vírus das hepatites A e B foi um passo importante, mas a maioria dos casos de hepatite transmitida pelo sangue permaneceram sem explicação.
A descoberta do vírus da hepatite C revelou a causa dos casos restantes de hepatite crónica e possibilitou o desenvolvimento de exames de sangue e novos medicamentos que salvaram milhões de vidas”, anunciou o comité do Nobel.

Harvey Alter (norte-americano) identificou o vírus até então desconhecido, que causava hepatite crónica. Michael Houghton (britânico) foi responsável pelo isolamento do novo vírus, denominado então por vírus da hepatite C. Já Charles M. Rice (norte-americano) obteve as evidências experimentais que comprovaram que o vírus poderia de facto causar a hepatite.

Na década de 1940, já estava claro que existiam dois tipos principais de hepatite infeciosa. O primeiro, denominado hepatite A, é transmitido através da água ou alimentos contaminados e geralmente tem pouco impacto a longo prazo no paciente. O segundo tipo é transmitido pelo sangue e fluidos corporais e representa uma ameaça muito mais grave para a saúde, podendo levar a uma condição crónica, com desenvolvimento de cirrose e cancro do fígado.

Faltava então descobrir o agente causador. O trabalho dos três galardoados com o Nobel da Medicina 2020 preencheu essa lacuna, identificando não só o vírus causador da doença, mas também a existência de um terceiro tipo de hepatite até então não caracterizada, a hepatite C.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS