INEM

INEM encaminhou quase 430 doentes para a Via Verde Coronária

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) encaminhou, entre os meses de janeiro e agosto de 2020, para tratamento hospitalar 429 casos de enfarte agudo do miocárdio, através da Via Verde Coronária (VVC).

INEM encaminhou quase 430 doentes para a Via Verde Coronária

No âmbito do Dia Mundial do Coração, o INEM recorda a importância de se reconhecer os sintomas desta doença súbita e sublinha que ligar o Número Europeu de Emergência (112) e transmitir as informações de forma clara é o procedimento mais adequado para o correto encaminhamento destes doentes através da Via Verde Coronária.

Os dados estatísticos revelam que, em 73 por cento dos casos, decorreram menos de duas horas entre a identificação dos sinais e sintomas e o encaminhamento da vítima através desta Via Verde.

Em 21,9 por cento dos casos o contacto através do 112 foi efetuado entre as duas e as doze horas de evolução da sintomatologia e os restantes 4,9 por cento dizem respeito a situações com mais de doze horas de evolução.

Os dados indicam ainda que é na população de género masculino que se verifica uma maior incidência desta doença súbita, com 340 casos registados.

Os distritos onde se verificou a maior incidência de doentes encaminhados através da VVC foram Lisboa, Porto e Faro, com 101, 77 e 49 casos, respetivamente.

O INEM lembra que é essencial que a população saiba reconhecer os sinais e sintomas de alerta do Enfarte Agudo do Miocárdio e ativar, de imediato, a Emergência Médica, através do 112.

Dor no peito de início súbito, com ou sem irradiação ao membro superior esquerdo, costas ou mandíbula, suores frios intensos, acompanhados de náuseas e vómitos são alguns dos sinais que podem indicar um enfarte agudo do miocárdio.

O reconhecimento precoce dos sinais e sintomas é fundamental e deve motivar o contacto com o 112. Esta é a via preferencial, dado que reduz o intervalo de tempo até ao início da avaliação, diagnóstico, terapêutica e agilização do transporte para unidade hospitalar mais adequada.

O enfarte agudo do miocárdio é uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção súbita, prolongada e total ou quase total, da perfusão sanguínea coronária, essencial para garantir o funcionamento do coração. Se a causa da interrupção da perfusão coronária não for revertida rapidamente, as células cardíacas da(s) zona(s) do coração afetada(s) acabam por morrer, o que acontece ao fim de poucas horas.

A realização de exames médicos de rotina, os hábitos de vida saudáveis, a prática de desporto de forma regular, evitar o tabaco e a vida sedentária são algumas das formas de prevenção eficazes e acessíveis a todo o cidadão.

Fonte: INEM

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS