ALIMENTAÇÃO

Carne vermelha cozinhada a temperaturas altas prejudica o coração

Um estudo publicado na revista Nutrients descreve que cientistas da Universidade do Sul da Austrália descobriram que o consumo de carne vermelha e processada aumenta um composto proteico que pode aumentar o risco de doenças cardíacas.

Carne vermelha cozinhada a temperaturas altas prejudica o coração

 
Quando a carne vermelha é cozinhada a altas temperaturas (grelhada, assada ou frita) cria compostos chamados produtos finais de glicação avançada (AGEs) que, quando consumidos, podem acumular-se no corpo e interferir com as funções celulares normais.
 
O consumo de alimentos com AGEs elevados pode aumentar o consumo diário total de AGE em 25 por cento, com níveis mais elevados contribuindo para o enrijecimento vascular e miocárdico, inflamação e stress oxidativo.
 
Durante a investigação, foi avaliado o impacto de duas dietas, uma elevada em carne vermelha e grãos processados e a outra elevada em laticínios, nozes, leguminosas e carne branca cozida, cozida a vapor ou estufada.
 
O estudo verificou que a dieta rica em carne vermelha aumentou significativamente os níveis de AGE no sangue, o que sugere que esta pode contribuir para a progressão da doença cardiovascular.
 
Embora ainda haja questões por desvendar sobre como os AGEs dietéticos estão ligados a doenças crónicas, esta investigação mostra que comer carne vermelha altera os níveis dos mesmos.
 
“Para reduzir o risco de doenças cardíacas, precisamos de reduzir a quantidade de carne vermelha que consumimos ou pensar melhor sobre a forma como a cozinhamos”, afirmaram os investigadores.

Fonte: Science Daily

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS