SONO

Sono insuficiente potencia sentimento de raiva

Um estudo publicado na revista Sleep revela que investigadores da Academia Americana de Medicina do Sono, nos Estados Unidos, analisaram as alterações emocionais causadas por poucas horas de sono.

Sono insuficiente potencia sentimento de raiva

 
Foram analisados dados diários de 202 estudantes universitários, que tiveram o seu sono, stress diário, e sensação de raiva monitorizados durante um mês.

Os resultados preliminares indicam que os indivíduos relataram ter experimentado mais raiva nos dias que se seguiram noites com poucas horas de sono.
 
A equipa de investigação analisou 147 participantes, sendo que estes foram designados aleatoriamente para manter o seu horário de sono regular ou para restringir o seu sono em casa para cerca de cinco horas ao longo de duas noites. Na sequência desta manipulação, a raiva foi avaliada durante a exposição a ruídos irritantes.
 
Os dados apurados mostraram que os indivíduos que dormiram horas suficientes adaptaram-se ao ruído e relataram menos raiva após dois dias. Por outro lado, as pessoas com restrições ao sono exibiram maior raiva em resposta ao ruído, sugerindo que a perda do sono prejudicou a adaptação emocional a situações frustrantes. 
 
Os resultados deste estudo são importantes porque fornecem fortes provas causais de que a restrição do sono aumenta a raiva e aumenta a frustração com o tempo, disseram os autores do estudo.

Os resultados sugerem igualmente que tais efeitos se traduzem na vida quotidiana, uma vez que os jovens adultos relataram mais raiva durante a tarde nos dias em que dormiram menos.
 
Os dados mostram a importância de considerar reações emocionais específicas tais como a raiva e a sua regulação no contexto da perturbação do sono, concluem os investigadores.

Fonte: Health24

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS