PANDEMIA

COVID-19: INEM transportou 2 143 casos suspeitos

Segundo um balanço feito pelo Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), na quarta semana de julho, entre os dias 20 e 26, foram transportados 2 143 utentes com sinais e sintomas de COVID-19, menos 87 casos suspeitos que na semana anterior. Foi a primeira descida de casos transportados registada no mês de julho. Desde o dia 1 de março, o INEM já transportou 30 879 casos suspeitos de COVID-19 .

COVID-19: INEM transportou 2 143 casos suspeitos

A definição de caso suspeito de COVID-19 é, entre outros e de acordo com as normas em vigor¸ qualquer situação de falta de ar (dispneia) triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM.

De igual forma, as equipas de colheitas de amostras biológicas do INEM registaram, na semana de 20 e 26 de julho, 69 colheitas efetuadas, menos 52 que na semana anterior. Quarenta e quatro destas colheitas foram realizadas na área de influência da Delegação Regional do Sul e 21 na Delegação Regional do Sul – Algarve.

No dia 26 de julho, o INEM não tinha registo de qualquer trabalhador ou colaborador diagnosticado com COVID-19. Três trabalhadores encontravam-se em situação de isolamento profilático e quatro profissionais sob vigilância da Comissão de Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobianos do INEM. Também aqui se registou uma descida dos números, dado que na semana anterior encontravam-se oito trabalhadores sob vigilância.

No âmbito da resposta à COVID-19, o INEM contratou 15 trabalhadores com contratos a termo, de acordo com a legislação aprovada para resposta à pandemia.

Foram contratados um enfermeiro, dois farmacêuticos, cinco psicólogos, dois Técnicos Superiores, três Assistentes Técnicos e 2 Assistentes Operacionais. A contratação destes recursos humanos veio suprir necessidades existentes do Instituto na resposta à pandemia.

“Apesar dos números da atividade do INEM terem decaído ligeiramente nesta semana, tal não significa que possamos diminuir os cuidados para evitar a transmissão do novo coronavírus. Cumprir com as recomendações da Direção-Geral da Saúde é fundamental para se evitarem novos contágios. Lavagem regular das mãos, distanciamento físico, etiqueta respiratória e uso de máscara são medidas fulcrais para travar a COVID-19”, afirma o INEM.

Fonte: SNS

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS