EPIDEMIA

Diagnóstico laboratorial de SARS-CoV-2

O ministério da Saúde decidiu criar a Comissão de Avaliação e Acompanhamento do Plano de Expansão da Capacidade Laboratorial Nacional para diagnóstico de SARS-CoV-2.

Diagnóstico laboratorial de SARS-CoV-2

De acordo com o despacho, publicado sexta-feira, dia 10 de julho, em Diário da República, na fase de retoma da atividade, o diagnóstico laboratorial assume um papel essencial para a gestão de casos de COVID-19 ao nível da preparação e implementação rápida da resposta, da deteção precoce e da rápida implementação de medidas de controlo da infeção.

No preâmbulo do diploma, o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, refere que o Ministério da Saúde pretende dotar o país de uma rede de diagnóstico, reforçada e alargada, com capacidade acrescida de testagem que permita detetar o reaparecimento do vírus e dar resposta célere e integrada a eventuais novos surtos em Portugal, pelo que se considera estratégico reforçar a capacidade nacional de diagnóstico para o SARS-CoV-2.

Caberá à Comissão: avaliar a capacidade de aumento de produção de testes na atual rede de laboratórios de diagnóstico de SARS-CoV-2, promovendo a maximização da utilização de equipamentos e infraestruturas da rede de laboratórios de diagnóstico de SARS-CoV-2; promover a expansão da atual rede de laboratórios do Serviço Nacional de Saúde e avaliar, na lógica de custo-benefício, a adequação de investimento em equipamentos e infraestruturas dos atuais e de novos laboratórios de diagnóstico de SARS-CoV-2.

O grupo, coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), deverá apresentar relatório no prazo de 30 dias, e é composto por elementos do INSA, Administração Central do Sistema de Saúde, Centro Hospitalar e Universitário de São João, Centro Hospitalar do Médio Tejo, Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa e Direção-Geral da Saúde.

Fonte: SNS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS