CÉREBRO

COVID-19 pode aumentar risco de danos cerebrais

Pacientes com COVID-19 grave podem estar em risco de uma variedade de complicações cerebrais, desde acidente vascular cerebral (AVC) a psicose, sugere um novo estudo da Universidade de Liverpool e da Universidade College de Londres, no Reino Unido.

COVID-19 pode aumentar risco de danos cerebrais

O estudo, descrito como a primeira investigação nacional de complicações neurológicas da infeção pelo novo coronavírus, analisou 125 pacientes com COVID-19 tratados em hospitais do Reino Unido durante o mês de abril. Os cientistas tiveram como foco apenas os casos graves o suficiente para exigir hospitalização.

A complicação cerebral mais comum foi o AVC, que ocorreu em 77 pacientes, dos quais 57 foram causados ​​por um coágulo sanguíneo no cérebro, nove por sangramento no cérebro (derrame) e um por inflamação nos vasos sanguíneos cerebrais. A maioria dos pacientes que teve um AVC tinha mais de 60 anos de idade.

Trinta e nove pacientes experimentaram confusão ou mudanças de comportamento que sugeriam um estado mental alterado. Desses, nove tiveram disfunção cerebral não especificada (encefalopatia), sete tiveram inflamação no cérebro (encefalite) e 23 foram diagnosticados com problemas psiquiátricos.

Noventa e dois por cento dos diagnósticos psiquiátricos eram considerados novos. Dez pacientes tiveram uma psicose de início recente, seis apresentavam demência e sete registaram sinais de um distúrbio de humor, incluindo depressão e ansiedade, segundo o estudo. Dos pacientes com estado mental alterado, 49 por cento tinham menos de 60 anos.

Para os autores do estudo, os resultados podem ajudar a orientar futuras pesquisas sobre as complicações neurológicas da COVID-19 e podem levar a tratamentos mais eficazes.

É também importante compreender as complicações cerebrais em pacientes com COVID-19 que não estão doentes o suficiente para serem hospitalizados, consideram os cientistas.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS