FARMÁCIA

Farmácias garantem: ninguém vai ficar sem medicamentos

As farmácias pararam esta quarta-feira, 27 de maio, por 23 minutos, para chamar a atenção para a falta de comparticipação do Estado que coloca em risco alguns serviços. Este protesto simbólico decorreu durante o debate parlamentar sobre a petição “Salvar as farmácias Cumprir o SNS”.

Farmácias garantem: ninguém vai ficar sem medicamentos

As farmácias portuguesas afirmam, num comunicado, que “o debate parlamentar sobre a Petição “Salvar as Farmácias Cumprir o SNS” é um momento histórico para o país, para o sector de farmácias e para os doentes”. Adiantam ainda que “a Assembleia da República tem a oportunidade de garantir o futuro da rede de farmácias e aproximar o SNS dos portugueses”.

Quanto à ameaça da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde - Infarmed em aplicar sanções sobre as farmácias que aderirem ao protesto, referem que este “mostra incompreensão pela natureza simbólica de uma paragem de 23 minutos”.

“O sistema de prescrição eletrónica já esta semana esteve parado mais tempo, por problemas inerentes aos servidores dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde. No passado, já esteve parado vários dias e nunca o Infarmed manifestou qualquer preocupação com isso”, justificam, acrescentando que “as farmácias sabem bem quais os seus deveres para com a população, que servem todos os dias, em todo o território”.

De acordo com o documento, esta forma de protesto não irá pôr em causa “o seu serviço aos portugueses” e ninguém irá ficar sem os seus medicamentos.

As farmácias lembram ainda que, sobre os serviços em risco por falta de comparticipação do Estado, as pessoas podem pedir esclarecimentos ao seu farmacêutico e informar-se na linha gratuita 1400, centro de atendimento das farmácias para a encomenda de medicamentos.

Fonte: ANF

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS