HOMEOPATIA

Dia Mundial da Saúde da Mulher: a homeopatia

Diferentes combinações de hormonas femininas, fatores genéticos ou ambientais e até mesmo causas desconhecidas tornam as mulheres mais vulneráveis a determinadas doenças ou condições, como cefaleias, ansiedade e infeções urinárias.

Dia Mundial da Saúde da Mulher: a homeopatia

Antigamente, as terapias disponíveis eram mais escassas para doenças tipicamente femininas. Em certos momentos, a opção era recorrer a tratamentos hormonais, algo que está cada vez mais em desuso devido aos seus efeitos secundários. Deste modo, o campo de atuação veio a reduzir-se a anti-inflamatórios e analgésicos e a Homeopatia apresenta-se como uma opção terapêutica a ter em consideração.

As dores menstruais são uma das principais causas de desconforto nas mulheres. Durante o ciclo menstrual ocorrem alterações hormonais e, ao longo dos anos, através da experiência clínica e de diversos estudos na área, tem-se vindo a demonstrar que a Homeopatia ajuda a regular, além de tratar dos sintomas que causa.

Nas irregularidades menstruais que as mulheres mais novas apresentam, os contracetivos eram a única opção, no entanto, com os medicamentos homeopáticos abriu-se um grande leque de possibilidades para evitar esse tipo de tratamento invasivo em idades tão precoces.

Também ao longo da gravidez e mesmo na fase pós-parto, as mulheres sofrem de muitas alterações que deixam marcas. Além dos problemas relacionados à maternidade, os medicamentos homeopáticos podem ser administrados para os problemas físicos comuns derivados da amamentação, como fissuras e inflamações dos mamilos e até mesmo ajudar a promover a secreção do leite quando este não sobe naturalmente.

Estima-se que malformações congénitas associadas ao uso de medicamentos durante a gravidez representem pouco menos de 5%. Embora a percentagem não pareça alta, é importante, porque, na maioria dos casos, são evitáveis

Uma das vantagens dos medicamentos homeopáticos é que os efeitos secundários, em geral, são pouco frequentes, de intensidade leve e de natureza transitória, motivo pelo qual são frequentemente administrados durante a gravidez e amamentação, tanto em mulheres como em crianças, incluindo bebés, e podem ser usados em conjunto com outros tratamentos convencionais.

O que se verifica é que cada vez mais mulheres incluem a Homeopatia durante estas diferentes fases da sua vida. Com a medicina tradicional há muitas limitações, medicamentos que não são possíveis de usar durante certas fases, como a gravidez, e a Homeopatia é de grande ajuda.

Além das doenças mencionadas, a Homeopatia é ainda bastante útil para aliviar estados gripais; doenças do sistema circulatório, como varizes; doenças do sistema urinário, como as infeções urinárias ou a incontinência e problemas digestivos, como náuseas e vómitos. Esta terapêutica fornece ainda uma resposta eficaz para a lombalgia, distúrbios do sono, ansiedade e depressão.

Cerca de 400.000 profissionais de saúde em todo o mundo já incluem medicamentos homeopáticos na sua prática clínica, tanto como terapêutica de primeira escolha, em associação com outros medicamentos ou em complemento de outras terapêuticas.

Fonte: Artigo de opinião da Dra. Cristina Casaseca-Aliste Mostaza, Médica de Família e Especialista em Homeopatia

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS