VÍRUS

Tecido elétrico mata coronavírus num minuto

Cientistas da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, criaram um material capaz de eliminar o novo coronavírus causador da COVID-19.

Tecido elétrico mata coronavírus num minuto

Trata-se de um tecido que os investigadores chamaram “eletrocêutico”, um material que usa a eletricidade para gerar um benefício terapêutico - assim como alimentos específicos podem constituir nutracêuticos.

O tecido incorpora uma matriz de minúsculas baterias, estruturas alternadas de prata e zinco que disponibilizam um baixo nível de eletricidade na presença de humidade.

É bem conhecido o facto de que os vírus podem ser eletricamente carregados. Os coronavírus, por exemplo, dependem de interações eletrostáticas para se poderem ligar ao hospedeiro e proliferar.

O investigador Abhishek Sen e os seus colegas procuraram então uma forma de explorar as próprias características eletrocinéticas dos coronavírus para tentar desconstruir a sua capacidade de infeção.

Os testes demonstraram que a capacidade de infeção do vírus é totalmente eliminada num minuto ao contato com o tecido eletrocêutico, o que é feito pela eliminação das forças eletrostáticas necessárias para que o vírus mantenha a sua integridade.

A equipa já tinha demonstrado a eficácia do mesmo princípio de esterilização contra bactérias, eliminando inclusive biofilmes que se desenvolvem em curativos. Uma empresa criada pela equipa já está a produzir o material para esse tipo de aplicação.

Com estes novos testes antivírus, os investigadores afirmam que o objetivo imediato é obter aprovação para usar o tecido eletrocêutico no fabrico de máscaras faciais.

Atualmente, as máscaras faciais são essencialmente barreiras físicas, com pouca ou nenhuma capacidade de matar vírus ou bactérias.


TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS