INEM

INEM transporta cerca de 160 casos suspeitos de COVID-19 por dia

De acordo com dados do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), desde o início de março, já foram transportados cerca de 12 643 utentes suspeitos de infeção por COVID-19 pelos profissionais do instituto. Um balanço da atividade no contexto da pandemia revela que este número corresponde, em média, a 162 casos diários.

INEM transporta cerca de 160 casos suspeitos de COVID-19 por dia

Com a passagem para a Fase de Mitigação no plano de resposta da Direcção-Geral da Saúde (DGS) à COVID-19, o INEM relembra que qualquer situação de falta de ar triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) foi considerada suspeita de COVID-19, obrigando os profissionais de emergência médica pré-hospitalares a cuidados redobrados.

A instituição fez ainda saber que os transportes realizados obrigaram a uma desinfeção cuidadosa das ambulâncias e dos seus equipamentos, sendo que algumas foram realizadas em colaboração com a Guarda Nacional Republicana, Forças Armadas e outros agentes de proteção civil.

Paralelamente, a partir do dia 10 de março que o INEM disponibilizou equipas de enfermagem para efetuar recolha de amostras biológicas em domicílios, lares ou outras instituições, para diminuir a necessidade de transporte de utentes aos hospitais. As seis equipas que o INEM criou para este efeito efetuaram um total de 7 497 recolhas de amostras para análise até à data.

Com o objetivo de detetar precocemente casos suspeitos de infeção pelo novo coronavírus, o INEM alocou aos aeroportos continentais equipas para monitorizar e avaliar casos suspeitos.

Desde o dia 20 de março e até ao dia 10 de maio foram monitorizados 1 598 passageiros, tendo sido detetados dez casos suspeitos. Foram igualmente controlados pelos trabalhadores do INEM 1 916 passageiros do navio cruzeiro MSC Fantasia, aportado em Lisboa, não tendo sido detetado qualquer caso suspeito.

O INEM operacionalizou adicionalmente estruturas de apoio para unidades hospitalares, tendo montado tendas de triagem nos Hospitais de São João, no Porto, e Dona Estefânia, em Lisboa. E auxiliou ainda na montagem de um “hospital de campanha” em Ovar, com a cedência de material e consultoria técnica para montagem da estrutura provisória.

Desde o início da pandemia, que 18 trabalhadores e colaboradores do INEM testaram positivamente COVID-19. A 17 de maio apenas três profissionais foram confirmados com a infeção.

O INEM procurou, durante este período, criar soluções para que os seus trabalhadores pudessem exercer funções através do regime de teletrabalho. Medida que abrangeu 200 profissionais - trabalhadores de backoffice e profissionais dos CODU.

A par de todo o trabalho efetuado em contexto COVID-19, o INEM, através do Sistema Integrado de Emergência Médica, O INEM afirma que continuou a responder ao trabalho quotidiano, às doenças súbitas e acidentes que não deixaram de acontecer, garantindo a prestação de cuidados de emergência pré-hospitalar a todos os cidadãos que deles necessitaram.

Fonte: INEM

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS