PANDEMIA

COVID-19: P-BIO promove projetos de start-ups portuguesas

A Associação Portuguesa de Empresas de Bioindústria (P-BIO) organiza, com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a iniciativa “P-BIO Pledge 4 COVID”. O projeto será apresentado em duas sessões: a 13 de maio (no Teatro Thalia, em Lisboa) e 19 de maio (nas instalações do CEiiA, em Matosinhos).

COVID-19: P-BIO promove projetos de start-ups portuguesas

A iniciativa pretende fomentar a participação das start-ups portuguesas na área das Bioindústrias na plataforma de cooperação mundial “Global Response to COVID-19”, lançada no dia 24 de abril e que já atraiu cerca de 7,5 mil milhões de euros para o investimento nas áreas de diagnóstico, terapias/tratamentos e desenvolvimento de vacinas.

A primeira sessão de apresentação decorre, a partir das 14h00, no Teatro Thalia, sendo que também poderá ser acompanhada online. A sessão conta com a presença de Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e André de Aragão Azevedo, Secretário de Estado para a Transição Digital.

A sessão seguinte acontece nas instalações da CEiiA, em Matosinhos, no dia 19 de maio, também a partir das 14h00. Além de Manuel Heitor na abertura, Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, estará presente para encerrar a sessão.

O apoio à participação das start-ups portuguesas nas redes internacionais pretende estimular parcerias em cada um dos três pilares da iniciativa:

1. Diagnóstico, essencial até existir uma vacina eficaz. O sistema científico e tecnológico português participa já de forma ativa no desenvolvimento e realização de testes e sistemas de diagnóstico, incluindo o uso de nanotecnologias, o que faz com que Portugal esteja numa posição de excelência para contribuir para o Fundo Global de Diagnósticos Inovadores (FIND).

2. Terapias/tratamento: a indústria Portuguesa está ativamente envolvida na produção de componentes críticas para terapias médicas antivirais, estando preparada para aumentar a nossa capacidade de produção e contribuir para o Acelerador de Terapêuticas a nível global (ACT Therapeutic Partnership).

3. Vacinas: a comunidade científica nacional está preparada para unir esforços com os parceiros à escala mundial no contexto do CEPI e do GAV, a coligação para a inovação preventiva contra a pandemia.

A plataforma “Global Response to COVID-19” reúne um conjunto de organizações comprometidas com o desenvolvimento de soluções de combate à COVID-19, tais como a Organização Mundial da Saúde (OMS) ou os países do G20. Portugal associou-se a este projeto através de doações dos setores público e privado.

Fonte: P-BIO

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS