HOMEOPATIA

Homeopatia: conheça os mitos e os factos

Na última década, a adesão à Homeopatia tem vindo a aumentar. Integrada na Medicina, esta terapêutica apresenta-se como mais uma opção ao serviço de doentes e de profissionais de saúde e é utilizada por mais de 300 milhões de indivíduos no mundo.

Homeopatia: conheça os mitos e os factos
HOMEOPATIA, ALTERNATIVA OU COMPLEMENTO?

TRATAMENTOS NATURAIS

HOMEOPATIA, ALTERNATIVA OU COMPLEMENTO?

A Homeopatia conta com uma visão holística do doente, colocando no centro da sua ação a sua saúde como um todo: o bem-estar global, físico, mental e emocional.

No âmbito do Dia Mundial da Homeopatia, que se assinalou a 10 de abril, Nuno Negrão Martins, Farmacêutico, desmistificou alguns dos mitos mais comuns associados a esta abordagem terapêutica.

Mito – A Homeopatia não está comprovada cientificamente: FALSO
A Homeopatia é baseada em estudos clínicos e farmacológicos experimentais. Ao longo dos anos, os medicamentos homeopáticos têm sido extensivamente estudados quanto à sua eficácia em várias indicações.

Existem, atualmente, mais de seis mil estudos publicados em revistas médicas e científicas, e indexados na PubMed, dos quais mais de 330 são estudos clínicos e mais de 245 são ensaios clínicos randomizados. A base de dados CORE-Hom dispõe de mais de 1.250 estudos clínicos, dos quais mais de 525 são ensaios clínicos randomizados. Na base de dados HomBRex estão registados mais de 2.400 testes em laboratório.

Mito – A Homeopatia é lenta na cura ou no alívio das doenças: FALSO
A Homeopatia atua de forma rápida. Os doentes notam que em pouco tempo o seu organismo começa a responder, sentindo um alívio dos seus sintomas. Em patologias crónicas, em que o doente sofre há meses ou anos, pode-se verificar uma redução da intensidade dos sintomas e da frequência das crises, ao longo de várias semanas ou meses.

Mito – A Homeopatia não é eficaz no tratamento de doenças agudas: FALSO
Por atuar rapidamente, a Homeopatia é eficaz no contexto de casos agudos como infeções, febre, vómito, diarreia, etc. Como qualquer outro medicamento, os medicamentos homeopáticos devem ser prescritos por um médico e recomendados por um farmacêutico, porque há emergências que requerem hospitalização e cuidados médicos especializados.

Mito – A Homeopatia trata qualquer doença, inclusive o cancro: FALSO
A Homeopatia tem as suas limitações e em nenhum caso deverá ser sugerida no sentido de excluir outras opções terapêuticas que sejam necessárias para o doente. Os medicamentos homeopáticos não substituem os tratamentos convencionais de oncologia.

A Homeopatia não é proposta como um tratamento para o cancro. É, sim, entendida como uma forma de melhorar a qualidade de vida do doente, ao aliviar alguns dos sintomas mais comuns (dor, fadiga, ansiedade e depressão) e reduzir os efeitos secundários de tratamentos como a quimioterapia e radioterapia.

Mito – Os Homeopatas não possuem formação no campo da Medicina: FALSO
A Homeopatia é reconhecida em Portugal através da Lei de enquadramento base das Terapêuticas Não Convencionais (Lei n.º 45/2003) onde é estabelecido o enquadramento da atividade e do exercício dos profissionais que exercem estas terapêuticas, tal como são definidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A Homeopatia é uma terapêutica integrante da Medicina e é mais uma opção terapêutica disponível para profissionais de saúde, médicos e farmacêuticos para o tratamento dos seus doentes.

Mito – Os medicamentos homeopáticos são placebos: FALSO
Os medicamentos homeopáticos são considerados eficazes numa ampla gama de doenças, tendo por base estudos científicos e controlos rigorosos. Um exemplo disso é o estudo de coorte com 219 doentes com DPOC, seguidos por 37 médicos de 21 unidades de saúde, publicado, recentemente, na Respiratory Medicine, uma das maiores revistas médicas sobre o trato respiratório.

Neste estudo, os doentes que tomaram um medicamento homeopático para prevenir infeções respiratórias não só tiveram menos infeções das vias respiratórias superiores (3,3 vezes maior probabilidade de ter 2 ou mais) como estas duraram menos tempo (3,57 dias em vez de 5,22). Estes doentes registaram ainda menos episódios frequentes de bronquite.

A acrescentar a isto, os processos de produção dos medicamentos homeopáticos estão sujeitos a critérios rigorosos e à supervisão das autoridades competentes, à semelhança de qualquer outro medicamento.

Mito – A Homeopatia não é compatível com outros medicamentos: FALSO
A Homeopatia é compatível com outros tratamentos, o que permite aumentar as possibilidades terapêuticas, não sendo conhecida nenhuma restrição à toma de medicamentos homeopáticos em combinação com medicamentos convencionais.

Cerca de 400.000 profissionais de saúde em todo o mundo incluem medicamentos homeopáticos na sua prática clínica, tanto como terapêutica de primeira escolha, em associação com outros medicamentos ou em complemento de outras terapêuticas. Cabe ao profissional de saúde decidir, perante cada um dos seus doentes, quais as melhores opções disponíveis e mais adequadas a cada caso.

Mito – Na Homeopatia a automedicação é inofensiva: FALSO
A automedicação deve ser evitada. Apesar dos medicamentos homeopáticos serem seguros, como qualquer medicamento devem ser prescritos por um médico ou aconselhados por um farmacêutico.

Fonte: Associação Portuguesa de Homeopatia

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS