GRAVIDEZ

Consumo de peixe durante gravidez benéfico para progenitoras

Consumir ou não peixe é uma questão que preocupa as mulheres grávidas; mas agora, um novo estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, mostrou que crianças cujas mães consumiam peixe entre uma a três vezes por semana durante a gravidez eram mais propensas a ter um melhor perfil metabólico do que crianças cujas mães ingeriam peixe uma vez por semana, ou menos, apesar do risco de exposição ao mercúrio.

Consumo de peixe durante gravidez benéfico para progenitoras

O peixe é uma importante fonte de ácidos graxos polinsaturados de cadeia longa ómega-3, importantes para o desenvolvimento do feto. No entanto, alguns tipos, como o espadarte ou a cavala, podem conter altos níveis de mercúrio, que pode causar danos neurológicos permanentes.

Publicado na revista JAMA Network Open, o estudo analisou 805 pares de mães e filhos de cinco países europeus; durante a gravidez, as mulheres foram questionadas sobre o consumo semanal de peixes e testadas quanto à exposição ao mercúrio.

Quando as crianças tinham entre seis e 12 anos, foram submetidas a um exame clínico com várias medidas, incluindo circunferência da cintura, pressão arterial, colesterol de lipoproteínas de alta densidade, níveis de triglicerídeos e níveis de insulina.

Os filhos de mulheres que consumiram peixe entre uma a três vezes por semana apresentaram níveis de síndrome metabólica mais baixos do que os filhos de mulheres que comeram peixe menos de uma vez por semana. Mas o benefício diminuiu se as mulheres comessem peixe mais de três vezes por semana.

O estudo constatou que uma maior concentração de mercúrio no sangue estava associada a uma maior pontuação nos níveis de síndrome metabólica das crianças.

Fonte: Food News

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS