OBESIDADE

Ar poluído pode aumentar probabilidade de obesidade

Respirar ar poluído pode ter efeitos nas bactérias intestinais, aumentando o risco de obesidade, diabetes, distúrbios gastrointestinais e outras doenças crónicas, sugere nova pesquisa da Universidade do Colorado Boulder, nos Estados Unidos.

Ar poluído pode aumentar probabilidade de obesidade

O estudo, publicado na revista Environment International, é o primeiro a vincular a poluição do ar a mudanças na estrutura e na função do microbioma intestinal humano; os investigadores usaram o sequenciamento de genoma para analisar amostras fecais de 101 jovens adultos.

O estudo analisou dados de estações de monitorização de ar próximas aos endereços dos indivíduos para calcular a sua exposição ao ozono no ano anterior (que se forma quando as emissões dos veículos são expostas à luz solar), material particulado (partículas perigosas suspensas no ar) e nitroso óxido (um subproduto tóxico da queima de combustíveis fósseis).

De todos os poluentes medidos, o ozono teve o maior impacto no intestino, respondendo por cerca de 11 por cento da variação observada entre os sujeitos do estudo – mais impacto do que sexo, etnia ou mesmo dieta.

Aqueles com maior exposição ao ozono também tinham menos variedade de bactérias no intestino.

Ao todo, os cientistas identificaram 128 espécies bacterianas influenciadas pelo aumento da exposição ao ozono; algumas podem afetar a libertação de insulina, a hormona responsável pela introdução de açúcar nos músculos para obter energia.

Outras espécies podem produzir metabólitos, incluindo ácidos graxos, que ajudam a manter a integridade da barreira intestinal e a evitar a inflamação.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS