MEDICAMENTO

Diurético mais receitado nos EUA tem muitos efeitos secundários

O diurético mais recomendado pelas diretrizes nos Estados Unidos para baixar a pressão arterial tem mais efeitos secundários, concluiu um estudo realizado por cientistas do Centro Médico Irving da Universidade da Columbia, nos Estados Unidos, e publicado no JAMA Internal Medicine.

Diurético mais receitado nos EUA tem muitos efeitos secundários

 
Os cientistas analisaram, durante este estudo, dados de mais de 730 mil pessoas a receberem tratamento para a hipertensão com um dos dois fármacos mais usados: clortalidona e hidroclorotiazida.
 
Cerca de 95 por cento dos pacientes analisados no estudo começaram por tomar hidroclorotiazida, o diurético recomendado até 2018. Contudo, em 2017, o College Americado de Cardiologia alterou as diretrizes, favorecendo, a partir daí, o uso de clortalidona no tratamento de pressão arterial alta.
 
Verificou-se, nesta investigação que, ao contrário dos argumentos do College Americano de Cardiologia, os dois fármacos são igualmente eficazes na prevenção de ataques cardíacos, hospitalização por insuficiência cardíaca e AVC.
 
No entanto, os pacientes tratados com clortalidona tinham um risco maior de efeitos secundários, como hipocalemia que leva a batimentos cardíacos anormais, hiponatremia, falha renal e diabetes tipo 2.
 
Observou-se que 6,3 por cento dos doentes a tomar clortalidona haviam experienciado hipocalemia, comparando com 1,9 por cento dos que haviam tomado hidroclorotiazida. Mais, os níveis de hipocalemia eram mais altos com a toma de clortalidona, mesmo em doses mais baixas.

Os autores do estudo recomendam aos médicos que prescrevem clortalidona aos seus doentes que os monitorizem frequentemente para despistar os efeitos secundários.

Fonte: Science Daily

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS