OBSTETRÍCIA

Peso ao nascer associado a fraca capacidade cardiorrespiratória

Os bebés com baixo peso à nascença apresentam uma maior probabilidade de ter uma fraca capacidade cardiorrespiratória na vida adulta, indica um estudo internacional.

Peso ao nascer associado a fraca capacidade cardiorrespiratória

 
Uma boa função cardiorrespiratória é fundamental para que haja um bom fluxo de oxigénio para os músculos durante o exercício, reduzindo o risco de inúmeras doenças e morte prematura.
 
Contudo, a incapacidade cardiorrespiratória dos adultos tem aumentado de forma alarmante, com uma proporção de incidência de 46 por cento em 2017, quase o dobro de 1995 (27 por cento) na população sueca.
 
Durante este estudo, foi analisado o efeito do baixo peso à nascença entre as 37 e as 41 semanas. Foram avaliados 280 mil homens desde o nascimento até à idade de entrada na vida militar (17-24 anos).
 
No momento da inscrição militar, foram submetidos a um exame físico que incluiu a avaliação da performance aeróbica máxima numa bicicleta ergométrica.
 
Foi observado que aqueles que haviam nascido com mais peso tinham um melhor desempenho cardiorrespiratório. Mais, este desempenho aumentava a cada 450 gramas.

Os resultados revelam, assim, um risco superior de 13 por cento de morte prematura e de 15 por cento de doenças cardiovasculares para aqueles com baixo peso à nascença.
 
Foram também avaliados mais de 50 mil irmãos dos participantes cujos resultados sugerem não haver fatores genéticos em comum que expliquem a relação entre o baixo peso e a função cardiorrespiratória, levando à hipótese de que esta relação seja adquirida no útero.

O estudo oferece informação de relevância para a saúde pública, visto que um cuidado pré-natal adequado pode evitar problemas de saúde fatais no futuro, afirmaram os autores.

Fonte: News Medical

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS