ALIMENTAÇÃO

Gelatinas vegetais ajudam na redução do colesterol

Os resultados de um estudo recente evidenciaram que o consumo diário da carragenina E407, presente nas gelatinas vegetais, aliado a uma alimentação equilibrada e à prática de exercício físico, reduzem os níveis de colesterol.

Gelatinas vegetais ajudam na redução do colesterol

Realizado por investigadores do Instituto Politécnico de Coimbra, o estudo pretendia saber se a introdução de alimentos que tivessem na sua composição a carragenina E407, um gelificante extraído de algas vermelhas marinhas, composição deste ingrediente, poderia reduzir os níveis de colesterol total (CT), colesterol HDL, colesterol LDL e triglicerídeos (TG).

Os 42 indivíduos que foram objeto de estudo foram divididos em dois grupos. O primeiro composto por 30 indivíduos (80 por cento mulheres e 20 por cento homens) consumiu diariamente uma porção (100 ml) de gelatinas vegetais Condi durante 60 dias e metade destes indivíduos aderiu à dieta do Mediterrâneo.

O segundo grupo de 12 participantes (67 por cento mulheres e 33 por cento de homens) consumiu diariamente uma porção (100 ml) dessas gelatinas durante 30 dias, tendo oito dessas pessoas aderido à dieta do Mediterrâneo.

Todos os participantes no estudo foram submetidos a três avaliações, com análises ao sangue, para que fosse possível perceber a relação entre o consumo de gelatinas vegetais e a alteração dos níveis de colesterol.

Após a experiência, observou-se uma diminuição significativa na concentração de CT e HDL‐C nos dois períodos (60 e 30 dias). E foi detetada uma redução nos níveis de CT e LDL‐C nas mulheres quando avaliada a distribuição por género (na amostra de 60 dias).

Quanto aos níveis de CT, estes diminuíram 7,6 por cento após 30 dias e 5,3 por cento após 60 dias. Relativamente à concentração de HDL‐C, de acordo com os resultados, houve uma diminuição em 8,6 e 4,6 por cento após 30 e 60 dias, respetivamente. Nos níveis de LDL‐C após 60 dias, observou-se uma tendência para diminuir, evidenciada no sexo feminino.

Em conclusão, a carragenina constitui-se como um potencial bioativo na redução dos níveis totais de colesterol no corpo, independentemente de se fazer uma dieta mediterrânica. A ingestão desta gelatina pode ser considerada uma boa prática para a proteção contra o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Fonte: Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS