DIAGNÓSTICO

Novo software diagnostica cancro da pele com precisão de 86%

Cientistas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no Brasil, estão a desenvolver um software com potencial para dar agilidade aos diagnósticos de cancro da pele do tipo melanoma.

Novo software diagnostica cancro da pele com precisão de 86%

Utilizando técnicas de inteligência artificial e aprendizagem profunda, o programa já atingiu uma precisão de 86 por cento no diagnóstico.

A expetativa é que, num futuro próximo, com o sistema instalado num telemóvel e com uma lente dermatoscópica acoplada, seja possível realizar de forma rápida e eficaz o diagnóstico da doença.

“A ideia é que se coloque esse sistema nos centros de saúde, por exemplo, que não têm dermatologistas. Muitas vezes, a pessoa só se dá conta da lesão quando começa a crescer, provocar comichão e sangrar, quando provavelmente o cancro já avançou e a probabilidade de cura é muito mais baixa, de 14 por cento. Já nos estadios iniciais, a chance de cura é de 97 por cento,” explicou a professora Sandra Ávila, que está a desenvolver o sistema com o seu colega Alceu Bissoto.

Segundo a investigadora, a ideia não é substituir o diagnóstico realizado pelo médico, mas dar apoio ao profissional de saúde especialista.

“A inteligência artificial funciona como um suporte, como auxílio, mas a decisão final sempre tem que ser do médico”, observa.

Assim, aliar a tecnologia ao conhecimento do profissional de saúde pode trazer celeridade na deteção precoce do melanoma, que é o tipo de cancro da pele mais agressivo e letal, melhorando o prognóstico de vida do paciente.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS