ALIMENTAÇÃO

Abstinência de cafeína pode ser superada pelo poder da mente

Um estudo australiano sugeriu que a abstinência de cafeína pode ser superada pelo poder da mente. Cientistas da Universidade de Sydney, na Austrália, realizaram uma experiência que envolveu 48 pessoas que consumiam grandes quantidades de cafeína (cada participante bebia, pelo menos, 270 miligramas de cafeína por dia, o equivalente a três chávenas de café).

Abstinência de cafeína pode ser superada pelo poder da mente

Os cientistas designaram os participantes em dois grupos aleatoriamente; ambos os grupos passaram pelo mesmo plano de redução de cafeína durante cinco dias.

Durante o primeiro dia, os participantes receberam um total de 300 mg de cafeína, uma quantidade que acreditaram continuar a beber no segundo, terceiro, quarto e quinto dias.

No entanto, os cientistas reduziram gradualmente os níveis de cafeína a cada dia. Como tal, os participantes receberam 200 mg de cafeína no segundo dia, 100 mg no terceiro dia e nenhuma cafeína durante o quarto e quinto dias. Cada grupo também recebeu informações diferentes sobre o seu plano de redução de cafeína.

Os participantes de um grupo obtiveram dados precisos sobre a sua programação de redução enquanto os do outro receberam dados deliberadamente incorretos sobre a ingestão de cafeína.

Os participantes que receberam informações reais sobre a redução das doses de cafeína relataram um aumento constante dos sintomas de abstinência à medida que o período de teste de cinco dias passava.

Enquanto isso, os participantes que foram enganados sobre as doses de redução de cafeína registaram as mesmas pontuações durante os primeiros três dias, tendo relatado um aumento acentuado nos sintomas de abstinência no quarto dia.

Os resultados finais sugerem que ambos os grupos podem ter sido tendenciosos ao relatar os seus sintomas. O efeito placebo pode ter influenciado o grupo informado incorretamente. Esse efeito geralmente faz as pessoas acreditarem que estão a receber algo quando, de facto, estão a tomar um simples placebo.

Ao mesmo tempo, o grupo que recebeu informações precisas pode ter experimentado o efeito oposto, que se refere a quando as pessoas exibem os efeitos secundários negativos conhecidos por estarem associados a um tratamento.

Fonte: Food News

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS