ALERTAS

Baixa ergonomia no trabalho afeta negativamente produtividade

Fadiga, stress e até lesões podem ser resultado de uma baixa ergonomia no local de trabalho, o que inevitavelmente se irá refletir na produtividade do trabalhador.

Baixa ergonomia no trabalho afeta negativamente produtividade

Na era da Revolução Digital, computadores e todos os produtos relacionados, como mesas e cadeiras que os sustentam, constituem o ponto forte do estudo da ergonomia. Com a sustentabilidade e a própria mobilidade a mudar os ambientes de trabalho, novos problemas físicos surgem e afetam os colaboradores.

A Adecco alerta que os trabalhadores passam horas e horas a usar os dispositivos e objetos que, se não forem adequados, irão gerar fadiga, stress e até lesões. Fatores como as características do indivíduo, nomeadamente peso, altura, proporções, audição, visão, preferências térmicas, estão na base da produtividade individual. A baixa ergonomia no trabalho afetará negativamente a produtividade dos funcionários, refere a empresa.

O estudo da ergonomia no trabalho é por isso essencial. Se, ao executar as suas funções de trabalho, o seu corpo estiver sob pressão devido a uma postura inadequada, sofrer altas temperaturas ou realizar movimentos repetitivos, o seu sistema músculo-esquelético será afetado negativamente.

O nosso corpo pode desenvolver sintomas como fadiga, desconforto e dor, que podem ser os primeiros sinais de um distúrbio músculo-esquelético, que afetarão negativamente músculos, articulações, tendões, ligamentos e nervos.

As vantagens da implementação da ergonomia no trabalho são muitas, entre as quais estão:

Cultura de segurança do trabalho. A ergonomia no trabalho reflete o compromisso da empresa com a segurança e a saúde de seus funcionários. De facto, o ativo mais valorizado de qualquer organização são funcionários saudáveis, seguros e felizes. A promoção dessa cultura levará a um melhor desempenho dos trabalhadores.

Redução de acidentes de trabalho. A ergonomia dos móveis de escritório diminui o número de acidentes de trabalho.

Funcionários mais produtivos e sustentáveis. Com maior conforto, a produtividade dos colaboradores também aumentará.

Menor número de compensações económicas. A redução de acidentes de trabalho acarreta um número menor de compensação financeira e licença médica para o trabalhador.

Poucos funcionários com dor. A ergonomia no trabalho fará com que os trabalhadores se sintam confortáveis, satisfeitos e felizes. A implementação da ergonomia no escritório pode reduzir os fatores que geram desconforto, minimizará o risco de distúrbios osteomusculares. Portanto, os trabalhadores serão mais eficientes, produtivos e se sentirão muito satisfeitos no desempenho das suas funções.

Menos absenteísmo no trabalho. Ao sofrer menos dor e gozar de boa saúde, o trabalhador será mais leal e produtivo com a empresa. Como seres humanos, buscamos conforto, independentemente de onde estamos. Portanto, ter um local de trabalho que favorece boas posturas e reduz danos e acidentes gerará uma força de trabalho muito mais produtiva. O esforço da organização para melhorar a segurança e a saúde de seus funcionários se traduz em modelos motivados e leais. Por sua vez, isso se traduz em menos absentismo no trabalho.

Melhor qualidade. O funcionário, sentindo-se à vontade e sem dores no trabalho, ou mal-estar estará mais focado no core do seu dia-a-dia, prestará mais atenção aos detalhes com os quais a qualidade do serviço ou produto será melhor.

Aumento de benefícios. O facto de minimizar o risco de acidentes de trabalho e aumentar a produtividade traz maiores benefícios para a empresa.

Comprovados os benefícios oferecidos pela implementação de uma boa ergonomia no trabalho, o lógico será trabalhar para uma empresa criada por essa cultura de trabalho.

Fonte: EDC (press release)

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS