OFTALMOLOGIA

Fotografia com flash pode ajudar a diagnosticar retinoblastoma infantil

O Instituto Nacional do Cancro (Inca) do Brasil oferece um tratamento capaz de preservar a visão de 80 por cento das crianças que desenvolvem retinoblastoma, um tipo de cancro que afeta a retina.

Fotografia com flash pode ajudar a diagnosticar retinoblastoma infantil

Para que a terapia tenha mais probabilidade de sucesso, é fundamental diagnosticar a doença o mais cedo possível.

Apesar de raro, o retinoblastoma é considerado o cancro ocular mais frequente nas crianças, afetando uma a cada 17 mil crianças nascidas vivas.

A tecnologia utilizada pelo Inca foi desenvolvida no Japão e chegou aos países ocidentais há cerca de 15 anos. Em vez de sessões de quimioterapias que afetam todo o corpo, o tratamento consiste em usar um cateter para inserir uma quimioterapia localizada, que afeta apenas o olho da criança.

O tratamento é recomendado quando não há a indicação de cirurgia, apresentando uma série de vantagens, além da eficácia.

“O avanço está na possibilidade de fazer um tratamento muito localizado, que não se espalha pelo corpo e não tem aqueles malefícios da quimioterapia, quando é feita por via venosa. Não tem enjoo, queda de cabelo, a baixa da imunidade e tem uma eficácia muito grande, já que a concentração da quimioterapia se restringe à área do olho”, explica Nathalia Grigorovski, oncologista pediátrica do Inca.

O tratamento localizado permitiu aumentar de 20 para 80 por cento a preservação da visão das crianças após a doença, que precisa ser diagnosticada precocemente.

“O rastreio é feito através do teste do reflexo vermelho, conhecido também como teste do olhinho. Esse exame deve ser feito pela primeira vez na maternidade, antes da alta, e, depois, repetido em todas as consultas de puericultura, que são aquelas consultas dos primeiros anos”, explica Clarissa Mattosinho, também do Inca.

A fotografia com flash é a ferramenta mais simples à disposição dos pais para procurarem ajuda médica a tempo. “Na fotografia, é possível observar um reflexo branco na retina, e o reflexo normal é um reflexo vermelho-alaranjado. Quando existir um reflexo branco, é um sinal de alerta, e a criança tem que ser levada para uma avaliação do oftalmologista”, detalhou a especialista, acrescentando que não há risco em utilizar o flash, e que o reflexo branco também pode ser sinal de outras enfermidades.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS