SEXUALIDADE

Manual digital inédito explica tudo sobre órgão sexual feminino

A jornalista norte-americana Zoe Mendelson decidiu criar um projeto para responder a inúmeras perguntas sobre a vagina colocadas por mulheres de todo o mundo. A jornalista revelou que quando procurava respostas para as suas dúvidas na Internet não encontrava informação com qualidade e rigor.

Manual digital inédito explica tudo sobre órgão sexual feminino

A Pussypedia (Enciclopédia da vagina, em tradução livre) trata-se de uma enciclopédia digital gratuita que se dispõe a oferecer informações de qualidade sobre o corpo feminino. O projeto, feito em parceria com a ilustradora mexicana María Conejo, recebeu 130 mil visitas desde que começou a funcionar, em julho deste ano.

Apesar de estarmos na era da libertação feminina, é preciso admitir que ainda há muitas conquistas a serem feitas, especialmente no que diz respeito à sexualidade da mulher. “Acho que superestimamos a quantidade de progresso obtida [na igualdade de género]. Seguimos vivendo com muitíssima desigualdade e vergonha dos nossos corpos. E a nossa sexualidade, ainda que mais aceite pela sociedade, continua internalizada em nós”, comentou Zoe Mendelson.

A parceira de Zoe Mendelson no projeto disse acreditar que a maioria das mulheres pensa que sabe muito sobre o próprio corpo e, por causa disso, não faz as perguntas certas, deixando de receber respostas que supostamente já deveriam saber. “Essa atitude limita-nos muito”, destacou María Conejo à BBC.

A Pussypedia surge com o objetivo de facilitar o acesso às respostas que as mulheres não sabem sobre o seu órgão sexual e tudo o que o envolve. O nome do site vem da combinação das palavras do inglês encyclopedia e pussy (termo em inglês usado coloquialmente para designar a vulva).

Embora a terminologia seja limitada a uma pequena parte da vagina, as criadoras do site decidiram ampliar a definição para uma “combinação de vagina, vulva, clitóris, útero, bexiga, reto, ânus e, quem sabe, alguns testículos”.

Na enciclopédia da vagina, as mulheres vão encontrar desde assuntos mais simples, como a forma de lavar a vulva, até questões mais complexas, como a relação entre agrotóxicos e fertilidade.

O portal ainda disponibiliza versões em inglês e espanhol, além de incluir em cada artigo a lista de fontes usadas. Ainda assim, muitas dúvidas podem permanecer em aberto, pois os genitais femininos – com exceção da função reprodutiva – foram menos estudados que os masculinos.

“Falta muita informação que hoje é desconhecida ou que não tem acordo na comunidade científica. Por exemplo, de que tipo de tecido é feito a maior parte do corpo do clitóris”, comentou a jornalista.

Em três dias, a plataforma arrecadou 22.000 dólares (cerca de 88.000 reais). As visitantes do site podem ajudar na manutenção da página patrocinando um artigo ou comprando ilustrações de María Conejo.

De acordo com as criadoras, o próximo passo é acrescentar informações sobre a saúde sexual transgénero.

Fonte: Veja

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS