IDOSO

Metade dos idosos institucionalizados em risco de malnutrição

Ao contrário do que foi anunciado, os nutricionistas não chegam à população mais vulnerável. A falta de nutricionistas no setor social e solidário continua a ser uma realidade. A Ordem dos Nutricionistas lamenta que o Governo não tenha seguido as recomendações apresentadas na Assembleia da República há um ano.

Metade dos idosos institucionalizados em risco de malnutrição

Na sexta-feira, 9 de agosto, assinalou-se um ano desde que a Assembleia da República recomendou ao Governo a presença obrigatória de nutricionistas nas instituições do setor social e solidário. 365 dias volvidos não foi registada nenhuma alteração e a Ordem dos Nutricionistas lamenta a falta destes profissionais junto de um grupo vulnerável da população.

Neste sentido, a Ordem dos Nutricionistas fez chegar ao Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, uma carta na qual questiona a concretização da recomendação.
 
“Só podemos apresentar cartão vermelho ao Governo, pois não cumpriu com a recomendação da Assembleia da República. O retrato do estado nutricional dos idosos nos lares é preocupante, uma vez que cerca de metade está em risco de malnutrição. Urge garantir a intervenção de nutricionistas junto desta população mais vulnerável, de modo a que possam contribuir para a inversão dos problemas de saúde que afetam este grupo da população”, salienta Alexandra Bento, bastonária da Ordem dos Nutricionistas.
 
Atualmente, cerca de 21 por cento da população portuguesa tem mais de 65 anos de idade e, segundo dados recentes, 15 por cento dos idosos estão em risco de desnutrição; 39 por cento são obesos; mais de um quarto tem diabetes; e 70 por cento dos idosos inscritos nos centros de saúde em Portugal sofre de hipertensão.

De notar que 4,8 por cento dos idosos em lares estão em situação de desnutrição e 38,7 por cento em risco de malnutrição, comparativamente aos 0,6 e 16,9 por cento, respetivamente, dos idosos não institucionalizados, afirma a Ordem.
 
A Ordem dos Nutricionistas defende que só com a presença de nutricionistas nestas instituições é possível definir uma alimentação adequada aos utentes, tendo em conta as necessidades e características individuais de cada um.

Os idosos são considerados uma população vulnerável pelas diversas características que decorrem do natural processo de envelhecimento e para Alexandra Bento “o país tem a obrigação de os cuidar com especial atenção”.

Fonte: Media Tailors (press release)

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS