OBESIDADE

Acessibilidade a cadeias de fast-food associada a aumento de IMC

O número de diferentes tipos de lojas de alimentos disponíveis perto de residências e rotas de deslocamento, mas não perto de locais de trabalho, teve uma associação significativa com o índice de massa corporal (IMC) das populações, de acordo com um estudo realizado pela Universidade Estadual do Arizona, nos Estados Unidos.

Acessibilidade a cadeias de fast-food associada a aumento de IMC

O estudo, publicado na revista PLOS ONE, analisou dados de 710 funcionários de Nova Orleãs; baseando-se em bancos de dados existentes, foram determinados o número de supermercados, mercearias, restaurantes de serviço completo e restaurantes de snacks a menos de um quilómetro dos endereços residenciais e de trabalho dos funcionários.

O estudo também determinou o número e o tipo de lojas de alimentos dentro de um quilómetro do caminho de trajeto mais curto entre a residência de cada funcionário e o seu local de trabalho.

As análises estatísticas mostraram que um número maior de restaurantes de fast-food próximos à rota de deslocamento estava associado a um maior IMC do grupo estudado.

Um IMC mais elevado também foi associado a um maior número de supermercados, mercearias e restaurantes de fast-food perto de residências, enquanto um número maior de restaurantes de serviço completo perto de residências estava ligado a um menor IMC.

A análise não encontrou quaisquer ligações entre o IMC e as lojas de alimentos disponíveis perto de locais de trabalho.

As descobertas destacam, segundo os investigadores, a necessidade de considerar múltiplos fatores ambientais ao analisar os elementos que contribuem para o aumento do IMC das populações.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS