OBSTETRÍCIA

Material transparente permite mães verem bebés nas cesarianas

Em vez de um tecido azul ou verde - chamado de campo cirúrgico - que impede a mãe de ver o momento exato do nascimento do bebé, um material transparente permite que esta vivencie esse momento durante o parto por cesariana. Esta é a proposta de algumas maternidades de São Paulo, no Brasil, para aproximar mãe e o bebé no momento do nascimento.

Material transparente permite mães verem bebés nas cesarianas

“Muitas mães queriam acompanhar a saída dos seus bebés no parto por cesariana e, para isso, algumas vezes baixávamos o campo cirúrgico para que elas pudessem ver. Porém, esse plástico é usado para isolar a área aberta para o parto, evitando infeções e, ao baixar esse campo cirúrgico, o risco é aumentado. Por isso, para promover a segurança e a humanização do parto, resolvemos colocar o campo transparente”, explica a ginecologista e obstetra Carolina Burgarelli, da Maternidade Pro Matre Paulista, em São Paulo.

Segundo a médica, outras medidas utilizadas para humanizar mais o parto de mulheres que fazem o parto por cesariana são o acompanhamento da gestante por uma pessoa que ela confie, a presença do bebé por mais tempo na sala de parto e a recuperação da anestesia junto ao bebé, sendo ambos encaminhados juntos para o quarto.

“O contato precoce entre a mãe e a criança é importante para que haja um fortalecimento de vínculo entre os dois, fornecendo a adaptação entre eles e gerando proteção emocional. Além disso, esse contato estimula a amamentação, que é importante para o bebé”, afirma a obstetra.

Carolina Burgarelli explica que, quando o campo transparente é usado, a mulher consegue acompanhar tudo o que está a acontecer do outro lado.

Caso a mulher queira acompanhar o nascimento, mas tenha medo de ver sangue ou de acompanhar outros procedimentos que não sejam a saída da criança, o campo transparente pode ser coberto com um pano ou com o outro campo cirúrgico, que não permitem a observação.

O uso do campo transparente não é obrigatório e só é usado com o consentimento da gestante antes da realização do parto. O uso deste dispositivo é contraindicado em casos de instabilidade da mãe ou do bebé e em partos de urgência, visando garantir, primeiramente, a saúde dos dois.

Fonte: R7

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS