DIETA

Dieta e exercício não reduzem risco de diabetes gestacional

Uma nova investigação, realizada pela Universidade de Viena, na Áustria, acredita que minimizar o ganho de peso em mulheres grávidas obesas pode ser prejudicial à mãe e ao feto, ao restringir a ingestão de hidratos de carbono durante a gravidez.

Dieta e exercício não reduzem risco de diabetes gestacional

Os resultados foram publicados na revista Diabetes Care.

O projeto envolveu treinar um grupo de gestantes obesas para mudar a sua dieta e cumprir com cinco medidas de estilo de vida: reduzir a ingestão de refrigerantes, reduzir a ingestão de hidratos de carbono e gordura rapidamente absorvidos e aumentar a ingestão de proteína e fibra dietética. O grupo de controlo não fez mudanças nos hábitos alimentares.

Um segundo grupo de mulheres realizou atividade física regular e recebeu aconselhamento correspondente; o grupo de controlo não fez exercício físico.

Embora o ganho de peso das mulheres que seguiram o aconselhamento dietético tinha sido menor, estas mulheres apresentaram níveis mais altos de glicose no sangue em jejum e um nível mais alto de substâncias no sangue resultante do aumento da degradação da gordura, como ácidos graxos e cetonas.

Isso também foi correlacionado com a ingestão reduzida de hidratos de carbono; níveis mais elevados de ácidos graxos livres também foram encontrados no sangue dos recém-nascidos.

No entanto, de acordo com o estudo, o aumento do exercício físico foi tão malsucedido na prevenção da diabetes gestacional como a suplementação de vitamina D.

Em resumo, pode-se concluir que as intervenções nutricionais têm uma influência significativa sobre o metabolismo materno e infantil.

No entanto, a vantagem do menor ganho de peso ao restringir hidratos de carbono em mulheres grávidas obesas resulta simultaneamente no aumento da degradação da gordura e na libertação associada de ácidos graxos livres no sangue da mãe e do bebé.

Fonte: Medical Xpress

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS