EXERCÍCIO

Caminhar reduz risco de mortalidade em mulheres mais velhas

Caminhar mais está associado a menores taxas de mortalidade entre as mulheres mais velhas, de acordo com um estudo publicado no JAMA Internal Medicine.

Caminhar reduz risco de mortalidade em mulheres mais velhas

Investigadores do Hospital Brigham and Women, em Boston, nos Estados Unidos, e colegas usaram dados de 16 741 mulheres norte-americanas (idade média de 72 anos) que participaram do Estudo de Saúde da Mulher e que eram utilizadoras complacentes de um acelerómetro durante o seu período acordado por sete dias entre 2011 e 2015.

Os pesquisadores relatam que, durante um acompanhamento médio de 4,3 anos, 504 mulheres morreram. Entre quartis de baixo a alto, a mediana por dia foi de 2 718, 4 363, 5 905 e 8 442 passos por dia, respetivamente.

Ajustando-se para potenciais fatores de confusão, as taxas de risco de quartis correspondentes associadas à mortalidade foram de 1,00 (referência), 0,59, 0,54 e 0,42, respetivamente.

As taxas de risco declinaram progressivamente com média de número de passos mais altos por dia até aproximadamente 7 500 passos/dia, após o que se nivelaram.

Intensidades mais altas dos passos foram associadas a taxas de mortalidade significativamente menores numa análise não ajustada. Mas, ao ajustar as etapas por dia, as associações não eram mais significativas.

Assim, a pesquisa concluiu que, entre as mulheres mais velhas, andar cerca de 4 400 passos/dia foi significativamente relacionado a menores taxas de mortalidade, em comparação com cerca de 2 700 passos/dia.

Fonte: Boa Saúde

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS