INFORMÁTICA

Profissionais de saúde devem ser cuidadosos nas redes sociais

As redes sociais têm sido cada vez mais usadas para a autopromoção pessoal e profissional. Como a linha que separa o pessoal e o profissional pode ser facilmente transposta quando os profissionais usam as redes sociais para fazer autopromoção, uma equipa de cientistas decidiu investigar como o uso das redes sociais pode afetar a perceção do profissionalismo das pessoas - especificamente, dos profissionais de saúde.

Profissionais de saúde devem ser cuidadosos nas redes sociais

A conclusão é preocupante: para os profissionais de saúde, partilhar/escrever um único comentário negativo nos seus perfis no Facebook pode prejudicar a sua credibilidade junto de pacientes atuais ou potenciais.

“Este estudo fornece a primeira evidência do impacto que as divulgações pessoais online dos profissionais de saúde podem ter na sua credibilidade. Essa descoberta é significativa não apenas porque os profissionais de saúde usam as redes sociais no âmbito das suas vidas pessoais, mas também são encorajados a usá-la para fazer autopromoção e interagir com o público”, explicou o professor Serge Desmarais, da Universidade de Guelph (Canadá), que conduziu o estudo.

A análise realizada envolveu mais de 350 participantes canadianos, que viram um perfil do Facebook simulado e classificaram a credibilidade do proprietário do perfil e, em seguida, avaliaram a sua própria vontade de se tornar um utente do proprietário daquele perfil.

Foram testados fatores incluindo o género, se o dono do perfil apontava como profissão veterinário ou médico e a presença de uma publicação e de um comentário ambíguo da jornada de trabalho ou um comentário expressando frustração com a profissão.

O comentário ambíguo publicado afirmava: “A estrear os novos prontuários eletrónicos hoje... experiência interessante com certeza J. “. Já o comentário que expressava frustração no trabalho declarava: “O que há de errado com algumas pessoas? Eu sei que eu só passei nove anos na universidade..., mas, realmente, eu sei do que estou a falar... yeesh!”.

Entre todos os fatores considerados, o único que influenciou a perceção dos leitores sobre o profissionalismo do proprietário do perfil foi o comentário de frustração no trabalho. Numa escala de 0 a 100, o perfil com o comentário negativo ficou 11 pontos abaixo (56,7) do que aquele com o comentário ambíguo (67,9).

“Essa é uma queda significativa”, disse Desmarais. “Isso mostra que é necessário apenas um comentário simples para as pessoas terem a perceção de que determinada pessoa é menos profissional e decidirem que não se querem tornar um utente seu”, acrescentou.

Dependendo de quem vê as publicações, os profissionais de saúde podem realmente está a prejudicar a sua reputação ao sentirem-se frustrados e ao partilharem essa frustração em publicações nas redes sociais.

Fonte: Diário da Saúde

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS