ENFERMEIRO

Enfermeiro português integra direção da EULAR

Ricardo Ferreira, enfermeiro do Serviço de Reumatologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra é o novo coordenador (Chair) do comité dos profissionais de saúde de Reumatologia (Health Professionals in Rheumatology) da Liga Europeia Contra as Doenças Reumáticas (EULAR).

Enfermeiro português integra direção da EULAR
Enfermeiros... O elemento charneira do sistema de saúde

MEDICINA E MEDICAMENTOS

Enfermeiros... O elemento charneira do sistema de saúde

Este comité foi constituído há 30 anos e integra todas as profissões (não médicas) da saúde, nomeadamente enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, psicólogos, podologistas, assistentes sociais, nutricionistas, entre outros.

A Liga Europeia Contra as Doenças Reumáticas existe há 70 anos e é, atualmente, composta por 45 sociedades médicas, 36 organizações de doentes, e 24 de profissionais de saúde em reumatologia, que formam assim os seus três pilares.

Apenas uma associação por país pode integrar cada um destes pilares, sendo que de Portugal estão integradas a Associação Portuguesa de Profissionais de Saúde em Reumatologia (APPSReuma), a Liga Portuguesa Contra as Doenças Reumáticas (LPCDR) e a Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR).

Para além dos três pilares estratégicos, a EULAR é formalmente subdividida em oito comités, sendo três deles agora liderados por portugueses: Ricardo Ferreira no comité dos profissionais de saúde, Pedro Machado (radicado em Londres) no comité de epidemiologia e investigação, e Elsa Mateus no comité dos doentes (PARE).

A EULAR e os seus diferentes comités são responsáveis, entre outras atividades, pela: elaboração de recomendações e orientações clínicas; promoção da investigação básica, clínica e translacional; promoção da educação especializada dos profissionais de saúde; promoção da multidisciplinaridade na prestação de cuidados; homogeneização dos cuidados prestados em toda a Europa; defesa dos direitos das pessoas com doenças reumáticas e músculo-esqueléticas (mais de 120 milhões na Europa) junto das entidades nacionais e europeias.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS