CANCRO

Cientistas descobrem cerca de 600 pontos fracos do cancro

Uma equipa de investigadores do Wellcome Sanger Institute, no Reino Unido, conseguiu desmantelar “peça por peça” células cancerígenas e identificar cerca de 600 pontos fracos. Esta investigação pode levar ao desenvolvimento de tratamentos mais eficazes e com menos efeitos colaterais.

Cientistas descobrem cerca de 600 pontos fracos do cancro

A equipa por detrás deste estudo está entusiasmada com a possibilidade de poder vir a contribuir para, num futuro que se espera próximo, o desenvolvimento de tratamentos cada vez mais personalizados contras as doenças oncológicas.

Fiona Behan, uma das investigadoras, revela que esta descoberta “é muito importante porque, hoje em dia, quando estamos a tratar o cancro, estamos a afetar todo o corpo do paciente. Não atingimos apenas as células cancerígenas”. 

“Este estudo permitiu-nos identificar os pontos fracos das células cancerígenas, o que possibilitará o desenvolvimento de fármacos que atinjam única e exclusivamente o cancro, sem afetar tecido saudáveis”, explica em entrevista à BBC.

O cancro é causado por mutações que ocorrem dentro das nossas próprias células e que alteram a informação no nosso código genético.

Durante esta investigação, os cientistas conseguiram aceder à informação de cerca de 20 mil genes, em mais de 300 tumores criados em laboratório feitos a partir de 30 tipos diferentes de cancro, e, para além de conseguirem desativar informação alterada, conseguiram identificar os genes cruciais para a sobrevivência.

Para tal, utilizaram a mesma tecnologia genética que foi usada o ano passado por um especialista chinês para alterar geneticamente dois bebés – o Crisp. Uma ferramenta relativamente nova, barata e fácil para manipular o ADN.

Os resultados da investigação foram já publicados na revista científica Nature.

Fonte: BBC

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS