CANNABIS

Cannabis de elevada potência aumenta risco de psicose

O consumo diário de cannabis de elevada potência pode aumentar o risco de psicose, conclui um estudo realizado em colaboração entre vários países europeus e o Brasil e publicado na revista The Lancet.

Cannabis de elevada potência aumenta risco de psicose

A investigação permitiu concluir que o uso de cannabis com elevada concentração de THC (a substância psicoativa tetraidrocanabinol) provoca mais danos na saúde mental do que formas mais leves.

Esta pesquisa mostrou ainda como o consumo de cannabis afeta a incidência de transtornos psicóticos na população.

“Como o estatuto legal da cannabis vai mudando em muitos países e Estados, e como são consideradas as prioridades terapêuticas de alguns tipos de cannabis, é de grande importância para a saúde pública que também consideremos os potenciais efeitos adversos associados ao uso diário de cannabis, especialmente de variedades de alta potência”, afirmou Marta Di Forti, uma das autoras do estudo, investigadora do Instituto de Psiquiatria, Psicologia e Neurociências do King’s College, de Londres, no Reino Unido.

Os estudos observacionais que fizeram parte desta investigação incidiram sobre indivíduos de 11 locais da Europa e um no Brasil. O primeiro passo foi estimar a prevalência da psicose, através da identificação de todas as pessoas que se apresentaram nos serviços de saúde mental entre 2010 e 2015, com um primeiro episódio psicótico.

A seguir, os investigadores compararam 900 doentes com um primeiro episódio de psicose com 1 237 pessoas saudáveis, para entender os fatores de riso associados à psicose.

Foi ainda feito um levantamento sobre o histórico de uso de cannabis e de outras drogas recreativas em todos os participantes.

Por fim, os investigadores definiram os limites para a potência da cannabis: acima de dez por cento de THC foi considerada alta potência e abaixo de dez por cento de THC como sendo de baixa potência.

Depois de consideradas todas as variáveis, foi possível concluir que o uso diário de cannabis foi mais comum e frequente entre os doentes com um primeiro episódio de psicose do que no grupo de controlo.

Cerca 30 por cento dos doentes relataram uso de cannabis diariamente, enquanto apenas 6,8 por cento das pessoas do grupo de controlo admitiram tê-lo feito.

O uso de cannabis de alta potência (mesmo que o seu consumo não tenha sido diário) também foi mais comum entre doentes com episódio de psicose do que no grupo de controlo.

Os resultados permitiram concluir que, nos locais analisados, as pessoas que usavam cannabis diariamente tinham três vezes mais probabilidade de ter um diagnóstico de primeiro episódio de psicose, quando comparadas a quem nunca havia consumiu cannabis. Este risco aumenta se a cannabis for de alta potência.

Fonte: Lusa

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS