PARKINSON

Exercício pode melhorar sintomas não motores da doença de Parkinson

O exercício tem o potencial para melhorar os sintomas não motores, bem como motores, da doença de Parkinson, incluindo a função cognitiva, de acordo com um estudo publicado no Journal of Parkinsons Disease.

Exercício pode melhorar sintomas não motores da doença de Parkinson

Até 57 por cento das pessoas que sofrem de doença de Parkinson desenvolvem um défice cognitivo ligeiro nos cinco anos após o seu diagnóstico inicial e, se sobreviver mais de dez anos, a maioria acabará por desenvolver demência.

Uma equipa multidisciplinar e internacional de investigadores analisou 11 estudos relevantes publicados antes de março de 2018.

No total, os estudos investigaram mais de 500 pessoas com a doença de Parkinson.

Os investigadores concluíram que todos os modos de exercício estão associados a uma melhoria da função cognitiva em indivíduos com a doença, sendo que todos eles têm diferentes efeitos nos pacientes; por exemplo, o exercício aeróbico tende a melhorar a memória.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS