SONO

Pais recentes enfrentam seis anos de sono interrompido

Investigadores da Universidade de Warwick, no Reino Unido, descobriram que, após o nascimento do primeiro filho e até seis anos após o nascimento, a duração do sono e a satisfação com este por parte das mães e dos pais não se recuperam totalmente até os níveis anteriores à gravidez.

Pais recentes enfrentam seis anos de sono interrompido

A investigação analisou o sono em 4 659 pais que tiveram uma criança entre 2008 e 2015.

Nos primeiros três meses após o nascimento, as mães dormiam, em média, uma hora menos do que antes da gravidez, enquanto a duração do sono do pai diminuía em aproximadamente 15 minutos.

Quando as crianças tinham entre quatro e seis anos de idade, a duração do sono ainda era cerca de 20 minutos mais curta nas mães e 15 minutos mais curta nos pais, em comparação com a duração do sono antes da gravidez.

Os efeitos do sono foram mais pronunciados nos pais pela primeira vez, em comparação com pais experientes.

Fonte: Eurekalert

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS