DENTISTA

Elevada taxa de crianças com necessidades médicas dentárias em 2017

Portugal tinha, em 2017, a segunda maior taxa de crianças com necessidades de cuidados médicos dentários não atendidas (seis por cento), mais do dobro da média da União Europeia (UE 2,3 por cento), segundo o Eurostat.

Elevada taxa de crianças com necessidades médicas dentárias em 2017

A maior taxa de crianças com menos de 16 anos e falta de cuidados médicos dentários foi identificada na Letónia (7,3 por cento), seguindo-se Portugal (seis por cento), Espanha e Roménia (5,7 por cento cada).

Segundo o gabinete estatístico europeu, sete estados-membros apresentaram, em 2017, taxas de menos de um por cento: Hungria (0,3 por cento), Croácia (0,4 por cento), Alemanha (0,5 por cento), Luxemburgo (0,7 por cento), França, Áustria e Eslováquia (0,9 por cento cada).

No que respeita aos cuidados médicos em geral, na UE, em 2017, 1,8 por cento das crianças com menos de 16 anos não receberam os necessários cuidados médicos, com a Bélgica a apresentar a maior taxa (8,7 por cento), seguida da Roménia (7,4 por cento) e da Suécia (4,2 por cento).

No extremo oposto, com menos de um por cento de crianças sem necessidades médicas atendidas estavam a Áustria (0,0 por cento), Alemanha (0,1 por cento), Hungria (0,2 por cento), Espanha (0,3 por cento), Croácia (0,4 por cento), Malta (0,5 por cento), Eslováquia (0,6 por cento) e Portugal (0,9 por cento).

Fonte: Lusa

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS