TERAPIA

Carboxiterapia é novo método para perder peso

O primeiro ensaio clínico a testar injeções de gás carbónico (carboxiterapia) para reduzir a gordura da barriga descobriu que a nova técnica elimina a gordura ao redor do estômago de forma eficaz.

Carboxiterapia é novo método para perder peso

No entanto, as mudanças foram modestas e não resultaram numa redução de gordura a longo prazo, de acordo com um estudo da Escola de Medicina da Universidade Northwestern Feinberg, nos Estados Unidos.

"A carboxiterapia pode ser um meio novo e eficaz de redução de gordura", disseram os investigadores, que acrescentaram que, apesar do progresso alcançado, o método ainda precisa de ser “otimizado”.

Num artigo publicado no Journal of the American Academy of Dermatology, os autores relataram que os benefícios desta nova técnica se prendem com o facto desta utilizar um "gás seguro e barato e a injeção em bolsas de gordura poder ser preferida por pacientes que gostam de tratamentos naturais".

Os benefícios de uma abordagem não invasiva são o tempo de inatividade diminuído, a prevenção de cicatrizes e a perceção de segurança, disseram os autores.

As tecnologias atuais mais utilizadas para redução de gordura não invasiva incluem criolipólise, ultrassom de alta intensidade, radiofrequência, adipocitólise química e redução de gordura assistida por laser.

A carboxiterapia foi realizada principalmente fora dos Estados Unidos, com alguns estudos clínicos a sugerirem que a técnica pode proporcionar uma melhoria duradoura nos contornos abdominais; contudo, a forma como a carboxiterapia funciona não é bem compreendida. Acredita-se que a injeção de dióxido de carbono cause alterações na microcirculação e danifique as células adiposas.

O objetivo deste estudo, que contou com a participação de 16 adultos que não estavam com sobrepeso, foi avaliar a eficácia da carboxiterapia para a redução de gordura e para determinar se quaisquer benefícios observados persistiram por seis meses.

O trabalho com o ultrassom de alta resolução detetou uma redução na gordura superficial após cinco semanas, mas não às 28 semanas. O peso corporal dos pacientes não mudou ao longo do estudo.

Fonte: Medical Xpress

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS