SUPLEMENTOS

FDA emite novas regras sobre consumo de suplementos de cafeína

A agência que regula os medicamentos e produtos de saúde nos Estados Unidos, a Food and Drug Administration (FDA), acaba de emitir novas e duras restrições à venda de suplementos alimentares que contêm quantidades perigosamente altas de cafeína.

FDA emite novas regras sobre consumo de suplementos de cafeína
Suplementos de cardamomo verde podem proteger o fígado

DIETA E NUTRIÇÃO

Suplementos de cardamomo verde podem proteger o fígado

suplementos que contêm cafeína pura ou altamente concentrada em pó ou líquido não podem mais ser vendidos diretamente em massa aos consumidores.

As novas restrições entraram já em vigor nos Estados Unidos e a agência acrescentou que está pronta para tomar medidas para remover produtos ilegais do mercado.

A nova regra não afeta outros produtos que contenham cafeína, como medicamentos sujeitos a prescrição ou medicamentos sem receita, ou produtos como bebidas tradicionalmente cafeinadas, disse a FDA.

Os suplementos dietéticos com altos níveis de cafeína foram associados a pelo menos duas mortes em pessoas saudáveis nos Estados Unidos, de acordo com a FDA.

Meia chávena de cafeína líquida altamente concentrada pode conter aproximadamente 2 000 mg de cafeína e apenas uma colher de chá de um produto puro de cafeína em pó pode conter aproximadamente 3 200 mg de cafeína. Isso equivale a 20 a 28 chávenas de café, uma dose potencialmente tóxica de cafeína, alerta a agência.

Menos de duas colheres de sopa de algumas fórmulas de cafeína em pó pura podem ser mortais para a maioria dos adultos, enquanto quantidades ainda menores podem ser fatais para as crianças. Grandes quantidades de cafeína altamente concentrada representam um alto risco de uso excessivo e uso indevido, alerta o organismo.

A dose segura recomendada de produtos de cafeína altamente concentrados ou puros é geralmente 200 mg de cafeína - cerca de 1/16 de uma colher de chá de pó puro ou aproximadamente 2,5 colheres de chá de um líquido, de acordo com a agência.

Fonte: press release

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS