NANOMEDICINA

Gilead Sciences apoia uso de nanopartículas no diagnóstico da SIDA

O uso de nanopartículas magnéticas para diagnóstico da SIDA e da tuberculose é um dos projetos científicos distinguidos pelo programa Gilead Génese 2017, financiado na totalidade em 300 mil euros pela farmacêutica Gilead Sciences.

Gilead Sciences apoia uso de nanopartículas no diagnóstico da SIDA

Na edição de 2017, a farmacêutica subsidia dez projetos - seis científicos e quatro iniciativas comunitárias.

A entrega das bolsas, que contam com o alto patrocínio do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, acaba de ser realizada, em Lisboa.

A equipa de Miguel Viveiros, especialista em microbiologia do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, propõe-se criar partículas magnéticas microscópicas (mini-ímans) que possam "capturar" numa colheita de sangue o vírus VIH/SIDA e o bacilo da tuberculose.

A ideia é que este dispositivo possibilite que outros procedimentos de análise "tenham muito mais eficácia", sobretudo em países subdesenvolvidos, onde "não há um laboratório sofisticado que permita colher a amostra do doente e processá-la" com os métodos de centrifugação ou concentração, explica a farmacêutica num comunicado.

Um outro projeto científico, do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto, pretende testar o papel de uma proteína de controlo da imunidade, a PSGL-1, como alvo para o tratamento de linfomas (cancros do sangue ). A proteína está presente tanto nas células imunitárias como nos tumores de linfomas.

Na prática, o investigador Nuno Santos vai aferir se a desativação da proteína pode impedir a propagação do linfoma e aumentar a eficácia das células imunitárias.

Os testes serão feitos com células tumorais humanas e de ratinhos e em modelos animais in vivo.

A lista de trabalhos científicos contemplados com uma bolsa Gilead Génese inclui o estudo de como "a variabilidade genética do vírus VIH-1 afeta, nas pessoas com SIDA, a resposta imune e a velocidade de progressão da doença", para efeitos de descoberta de novos tratamentos (Universidade do Minho).

Uma das iniciativas comunitárias distinguidas visa promover, com uma equipa móvel, "o aconselhamento e a deteção precoce" de infeções pelos vírus da SIDA e das hepatites B e C na região do Algarve.

Noutra zona do país, nos concelhos de Loures e Odivelas, uma outra iniciativa, a cargo da Liga Portuguesa Contra aSIDA, destina-se a apoiar, em colaboração com os centros de saúde, o diagnóstico e o tratamento da infeção pelo VIH e outras infeções sexualmente transmissíveis entre pessoas com idade igual ou superior a 50 anos.

Criado em 2013, o programa de bolsas Gilead Génese visa financiar a investigação e as boas práticas de acompanhamento de doentes, nas áreas dos linfomas, VIH/SIDA e hepatites B e CC.

Fonte: press release

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS