ALZHEIMER

Fármacos antiepiléticos aumentam risco de Alzheimer e demência

O uso de fármacos antiepiléticos foi associado ao aumento do risco de doença de Alzheimer e demência, de acordo com um novo estudo da Universidade do Leste da Finlândia e do Centro Alemão de Doenças Neurodegenerativas.

Fármacos antiepiléticos aumentam risco de Alzheimer e demência

O uso contínuo destes fármacos, por um período superior a um ano, foi associado a um aumento de 15 por cento no risco de doença de Alzheimer no conjunto de dados finlandês e a um aumento de 30 por cento no risco de demência no conjunto de dados da Alemanha.

Alguns antiepiléticos são conhecidos por prejudicar a função cognitiva relacionada com todos os diferentes aspetos do processamento da informação. Quando os investigadores compararam diferentes fármacos, descobriram que o risco de doença de Alzheimer e demência estava especificamente associado a fármacos que prejudicam a função cognitiva.

No geral, esses medicamentos foram associados a um aumento de 20 por cento no risco de doença de Alzheimer e um aumento de 60 por cento no risco de demência.

Os investigadores também descobriram que quanto maior a dose de um medicamento que prejudica a função cognitiva, maior o risco de demência. No entanto, outros fármacos antiepiléticos, aqueles que não prejudicam o processamento cognitivo, não estavam associados ao risco.

Para os especialistas, devem ser feitas mais pesquisas sobre os efeitos cognitivos a longo prazo, "especialmente em pessoas mais velhas".

Os resultados do estudo foram publicados no Journal of the American Geriatrics Society.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS